Translate

Pesquisar este blog

quinta-feira, 10 de abril de 2014

NÓDULOS MAMÁRIOS - BENIGNOS E MALÍGNOS




Bloqueios afetivos.

Nódulos são caroços ou protuberâncias que podem surgir nas mamas. Sua presença não deve ser ignorada pela mulher, requer uma imediata avaliação clínica. Podem ser apenas um cisto, um tumor, etc. Apesar do choque que a mulher leva ao identificar, pelo toque, a presença de uma massa sólida, a maior parte dos tumores mamários são benignos. Mesmo assim, a avaliação clínica é indispensável.

Metafisicamente, o surgimento de nódulos mamários, de qualquer natureza, mesmo benignos, representa os bloqueios da mulher na manifestação da ternura.

Quando ferida afetivamente, a mulher se retrai, embutindo seus sentimentos. Esse comportamento a impede de resolver aquilo que a afligiu nos relacionamentos afetivos, gerando bloqueios que refletem nas futuras relações.

A mulher perde sua qualidade interativa, que sempre foi evidente nos seus envolvimentos afetivos. Geralmente adota uma aparente frieza e certa indiferença para lidar com as questões .pertinentes ao seu sentimento. Esse é um mecanismo de defesa para evitar mais decepções com as pessoas.

É como se criasse uma espécie de couraça energética, na região do peito, estendendo-se à face, que evidencia seus bloqueios por meio de um semblante rude ou amargurado, causando uma antipatia nas pessoas, à primeira vista.

Passa a ser vista como alguém severo, mas na verdade, trata-se de uma mulher ferida na afetividade, que se esconde atrás de uma máscara para evitar envolvimentos e se machucar emocionalmente. Sua atitude racional é um mecanismo de defesa para distanciar os outros, para não se integrar afetivamente e sofrer novos abalos.

O bloqueio na manifestação da ternura nas relações interpessoais gera dois tipos de comportamentos. Um deles é o sizudismo, a frieza e a rudez. O outro, no entanto, é a dependência, insegurança e até possessividade com relação ao parceiro.

Nesse caso, ela projeta na presente relação toda a sua expectativa de obter a felicidade afetiva, para suprir as carências dos antigos relacionamentos.

Passa a viver em função do relacionamento, abandonando outras áreas da vida, como o trabalho, a família, dedicando-se exclusivamente ao parceiro, como se somente ao lado dele pudesse ser feliz e realizada na vida.

A dedicação é tão exagerada que a torna uma mulher ingênua em relação a ele. Não enxerga alguns fatores altamente nocivos à relação devido ao desejo ardente de ficar ao seu lado. Sujeita-se a várias situações desagradáveis oriundas do comportamento do parceiro, mas não faz nada para evitar que ele proceda daquela maneira, só para não correr o risco de perdê-lo e sofrer tudo novamente.


TUMORES MALIGNOS

Há aproximadamente vinte anos, o câncer de mama era considerado uma doença que atingia mais às mulheres das classes média e alta da sociedade. O estilo de vida que expõe essas mulheres a poluentes, produtos enlatados que contêm substâncias cancerígenas, alimentação rica em frituras e gorduras, etc., bem como a vida sedentária, são prováveis fatores desencadeadores do câncer de mama.

Atualmente, a população de mulheres com baixa renda começa a ser igualmente afetada porque adquire hábitos de exposição semelhantes aos das mulheres de classe social mais elevada.

O diagnóstico precoce ainda é um dos principais fatores da cura. Identificado o tumor em fase inicial, aproximadamente em 80% dos casos a cura é possível, sem a extração total da mama. As cirurgias de remoção dos tumores em fase inicial podem comprometer apenas uma pequena parte na mama (cerca de um quarto).

Ainda que seja inevitável a extração da mama, existem recursos auxiliares na Medicina para a reconstrução, e até prótese de silicone. Sobretudo, a vida da mulher é preservada.

Visto que o diagnóstico prematuro do tumor possibilita a utilização de métodos clínicos mais brandos, não se deve ser displicente com a própria saúde. Não deixe passar nenhum sinal diferente nas mamas; imediatamente, após identificá-lo, procure um médico.

No âmbito metafísico, as condições internas desencadeadoras do câncer de mama referem-se a profundas mágoas afetivas provocadas pêlos episódios vividos com a família ou com parceiros, que geraram profundas mágoas, fazendo com que a mulher reviva com freqüência os ferimentos emocionais.

Os traumas no relacionamento tornaram-se um marco em sua vida, pois, depois disso, a mulher nunca mais foi à mesma em sua vida afetiva. 

Intensos bloqueios impedem-na de ser feliz e realizada afetivamente.
Não consegue se doar a alguém querido. Torna-se uma mulher cismada, com medo de ser enganada por quem gosta. Permanece sempre na retaguarda; a frieza e a indiferença são acentuadas nas relações afetivas.
Algumas mulheres que apresentam esses bloqueios evitam vínculos afetivos, não gostam de estabelecer relações mais profundas. Acabam por se empenhar no trabalho como sendo seu reduto de realização, para compensar as frustrações emocionais.

A dedicação profissional faculta a essas mulheres o sucesso na carreira. Esses resultados promissores aliviam a carga emocional gerada pêlos fracassos no amor.

Outras mulheres, no entanto, mergulham "de cabeça" numa relação, provocando os excessos de dedicação a uma só pessoa, como foi melhor explicado anteriormente.

Pode-se dizer que a condição metafísica do câncer de mama corresponde às mesmas dos tumores benignos; no entanto, com maior intensidade de abalo emocional.

Para reverter esse quadro, metafisicamente é necessário empenhar-se no desprendimento dos episódios nocivos de sua trajetória afetiva.
Não reprima a ternura e a docilidade. Mobilize-se em prol das pessoas queridas. Lembre-se que é você quem mais ganha com os gestos dirigidos às pessoas queridas, pois a dedicação possibilita a manifestação no universo consciente do sentimento de amor que existe em você.

Manter um bom nível de interatividade no relacionamento afetivo é um conteúdo essencial para fortalecer as bases emocionais, que alavancam a mulher para a felicidade e a realização pessoal.

Caso você seja uma daquelas mulheres que projeta no parceiro todas as suas expectativas amorosas, cuidado! Isso, além de esgotar sua tolerância na dedicação exclusiva a ele, também gera em você comportamentos de cobrança excessivos e apego exagerado, que desgastam o relacionamento. Acorde para viver um amor consciente e acrescido a tantos outros fatores da vida que também lhe proporcionam conteúdos afetivos, como o envolvimento com outros membros da família, sua carreira profissional, etc.

Promova envolvimentos amorosos baseados naquilo que você sente, e não no que o outro pode lhe proporcionar na vida. Nada vale a pena se não corresponder ao seu sentimento. Sua felicidade depende daquilo que você sente, e não do que uma relação propicia.

Não deixe a vida passar sem que você aprecie as delícias de amar e estar bem próxima a seu amor. Quem ama encontra o maior sentido da vida, promovendo força e vigor para realizar tudo o que fizer parte de sua trajetória na existência humana.

Metafísica da Saúde 2


Leia mais sobre: Tamanho e formatos de seios

2 comentários:

  1. Muito bom o texto, obrigada por postar!

    ResponderExcluir
  2. Nossa... Que reportagem bem redigida, com conteúdo, muito próxima da realidade q muitas mulheres vivem. Parabéns!

    ResponderExcluir