Translate

Pesquisar este blog

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

TAMANHO E FORMATO DOS SEIOS

SEIOS - Visão Metafísica


Você sabia que seu seio diz muito sobre você?

Podemos analisar várias características pela visão metafísica. O formato, o tamanho, se é firme ou caído, flácido, etc.
As glândulas mamárias simbolizam a feminilidade e a afetividade, a capacidade de entrega e doação. Essa capacidade determina as características dos seios, o tamanho e formato.
Existem 2 formas características que são: gota e pera.



Forma de Gota: geralmente são empinados, mulheres com esse formato, demonstram coragem e vigor, são mais despachadas e tem facilidade de se colocar numa situação, se entregam sem perder a auto-estima. São independentes, seguras de si, sabem o que querem e vão a luta, não esperam acontecer. Se uma mulher assim com o passar do tempo sufoca essa sua natureza, por se deixar envolver por conceitos sociais, decepções, etc. O seio acompanha a mudança de comportamento e se molda, podendo ficar flácido, caído, crescer demais, ou até diminuir. Entenderemos esses outros significados mais a frente.

Forma de pêra: Já são naturalmente mais caídos, não empinados, mostra a falta de confiança em si, são indecisas em sua vida afetiva, se acaso se entregam, a auto-estima cai, dão mais necessidades as importâncias dos outros do que as suas próprias. Quando se relacionam, fazem de tudo para serem queridas, pois não confiam em sua capacidade para conquistar, geralmente, se deixam explorar, pois querem agradar e não sabem como.



Tamanho-volume : representam a vaidade e intensidade na doação.




Seios Médios e proporcionais: Pessoas que lidam bem com sua vaidade, não cometem exageros em nome do orgulho, expressam afeto de forma saudável, se doa com equilíbrio e bom senso, boa capacidade de se relacionar e estabilidade emocional.




Seios Pequenos e achatados: são pessoas mesquinhas na doação, geralmente mulheres que foram machucadas na afetividade na fase da infância, inibem a aptidão de doar, por isso reprimem sua capacidade de entrega, atrofiando o desenvolvimento e crescimento dos seios. Revela egoísmo e vaidade consigo. São mulheres com dificuldade no relacionamento afetivo, doam pouco e exigem muito, pois sentem muito medo da entrega.






Seios grandes: está diretamente ligado ao orgulho e vaidade no sentido de querer ser o que não sente que é. Faz tudo pelos outros para resolver seu complexo de inferioridade e medo de rejeição. Quer que achem que ela é bondosa, fica muito orgulhosa quando satisfaz a necessidade do outro, tem desejo de servir, precisa fazer para os outros para poder se sentir bem, não se apóia em si. Simbolicamente está dizendo que o seio grande tem leite de sobra pra todos! 


Seios flácidos: anulação de si, falta de sustentação e vigor interior, não confia em si, geralmente pessoa submissa, sofredora, se dedica intensamente aos outros esquecendo-se de si. Os seios flácidos demonstram que a pessoa está vazia de si, murcha, está esperando sempre algo que a preencha. Muitas mulheres fazem plástica para retirada de pele e não mudam seu interior continuando com o mesmo padrão que citei acima, então seus seios voltam a cair e murchar.

Seios grandes e caídos: É preciso entender que pra se doar é preciso não esperar nada em troca, a maioria das pessoas que se doam muito sempre espera alguma recompensa por sua doação. Como as pessoas de seios grandes geralmente são grandes doadoras, mas em geral é por que querem agradar, os seios tendem a cair, elas se machucam na doação, muitas vezes até se sentiram humilhadas em relação a sua doação, como o desprezo por exemplo, isso dói muito, então a doação é vista como um martírio.

Seios pequenos e caídos: Não se doam por nada, geralmente tem grande medo de se machucar.



Falaremos agora de mamilos. 



Tem muita gente que faz confusão entre mamilo e aréola (e confundem a aréola com auréola, esta é dos anjos, vem de aura, luz em torno, o mamilo tem aréola).


O mamilo é o bico do seio e representa a necessidade de ser chamada para algo, solicitada. 


A aréola é a pele em volta dos mamilos (bico). Simboliza a intensidade de como se coloca numa situação, e a pigmentação demonstra sua dedicação, mais escura, mais dedicada no que faz.

Mamilo grande: Essas mulheres necessitam extremamente de serem solicitadas para algo, não basta a situação mostrar, elas necessitam que alguém peça a elas, são muito criteriosas na doação e entrega.

Mamilo pequeno: Não se importam que peçam ou não, se sentem que a situação necessita, vão e fazem sem aguardar que ninguém peça. Na doação, são mais voltadas ao que é mais importante para si.

Seios e mamilos: aspectos combinados
Mamilo grande e seio grande: querem se destacar pela dedicação, fazem de tudo para os outros para provar suas qualidades, esquecem-se da sua própria realização, não costumam delegar poderes, querem ser o centro das atenções.

Mamilo pequeno e seio grande: Mulheres que não esperam a solicitação de ninguém, vão fazendo, mas em se tratando de seios grandes a dedicação ao outro é exagerada, são ansiosas na doação, não tem bom senso, quer logo fazer tudo, mesmo sem necessidade. Ex. Mulheres que quando recebem uma visita, oferecem comida, se você diz não, elas fazem de conta que não ouviram, a hora que você se dá conta, ela já fez algo e quer te servir, se você negar, ela fica magoada. Resumindo, não sabem o que fazer para agradar e se submetem a exageros por necessidade de se sentirem bondosas.


Mamilo grande e seio pequeno: Só se doam se forem realmente muito solicitadas, e se a pessoa não souber pedir do jeitinho que ela acha que deve ser, fazem o mínimo e com má vontade. Costumam dizer que não lhe pediram nada, por isso não faz. Com tanta expectativa de como gostariam de ser tratadas, não encontram condições para se dedicar a situação tornando-se frias e indiferentes.

Mamilo pequeno e seio pequeno: além da tendência reprimida, não gostam de ser solicitadas, só fazem na hora que querem. Se alguém solicita algo ela encara como pressão, ela alega que quando for o momento fará. São pessoas que se cobram muito pelo pouco que fazem. Não conseguem se soltar e expressar sua afetividade.


Você pode estar se perguntando em relação a plástica, onde fica a explicação metafísica em relação a alguém que tem pouco e aumenta, e a que tem muito e tira?
Vamos estudar: a pessoa que tem seios pequenos e sente o desejo de aumentar, está sentindo a necessidade de se doar, a vida está fazendo com que ela se implique com o seio pequeno e coloque prótese, é a coragem de ser si mesma, peitar o mundo, se doar, não ter medo, mas se esta pessoa coloca a prótese e não muda seu padrão interior, aí ocorre a rejeição da prótese. 


No caso das que tinham muito seio e fizeram a redução, se elas não pararem com a doação excessiva, com a preocupação com os outros em primeiro lugar, aí pode esperar, que ela vai engordar, e tudo que tiver de aumentar vai pro seio, pois o corpo muda de acordo com os padrões.
Você pode eliminar de vez um padrão quando você reage diferente. Pare e olhe como você está agindo e como você pode agir, basta observar e começar a trabalhar interiormente de forma diferente.
E para encerrar, já que falamos de doação, falaremos da amamentação, que é o maior exercício de doação que uma mulher pode fazer.




Amamentação

Para muitas mulheres, o simples fato de pensar em ter um filho, já simboliza a perda da liberdade, então se ela engravidar, certamente terá problemas nas glândulas mamárias como:
Falta de leite: ocorre geralmente em mulheres que acham que podem ter os seios deformados ou caídos em função do ato de amamentar, são pessoas que se recusam a fazer qualquer coisa pelo outro. Também outra causa metafísica, pode ser de mulheres que traumatizadas com a família atual ou com a de seus pais, geralmente são carentes e mal amadas, exigem dos outros mas não se dedicam a quem amam, são mimadas, querendo que todos corram para sanar suas necessidades.

Mastite: desconforto e mal estar na doação, acredita na obrigação da amamentação, sente sua liberdade invadida, tendo que deixar suas coisas para se doar a outro. O surgimento de nódulos durante a amamentação é uma forma de mastite, sendo que ela pode ocorrer fora do período de aleitamento. Quando ela ocorre na amamentação, podemos olhar assim: Inflamação, que dá abertura a invasão pelas rachaduras no seio, permitindo a entrada de bactérias causando a infecção.

Então está aí, o recadinho a respeito dos seios é este, se olhe, se sinta, procure não exigir, procure não se abandonar, seu corpo reflete seus sentimentos e pensamentos, ele é seu amigo e só quer te mostrar que você está contra você, não há mais ninguém que tenha tanto poder em você do que você mesma! 

Não se magoe com os outros não vale nada esse sentimento, não há mais tempo pra bobagens, lembre-se: "VOCÊ É ETERNA, E SÓ TERÁ VOCÊ PARA TODA A ETERNIDADE", então se aceite, se ame, seja bom com você, os outros estão do lado de fora e não devem ter tanta importância, tudo que você tirar a importância para de atrapalhar sua vida, importância é como fermento, só faz as coisas aumentarem.
Quando você muda a mudança ocorre ao seu redor e as pessoas que te usavam porque você permitia perdem o poder, ou elas mudam ou se mudam de perto de você, a doença some, e tudo se arranja para o seu melhor, enfim, assuma seu poder, peite o mundo com coragem, determinação e auto confiança!

Samira Colla

Leia mais sobre: Amamentação e mastite


Significado psicológico do Tamanho dos Seios 




Quando as mamas são pequenas, isso denota uma mulher yang, ou seja, que não admite autoridade sobre ela e que repudia a ideia de ficar presa ou ser comandada por alguém ou alguma situação. Essa mulher tem necessidade de liberdade e de poucos vínculos. 

Muitas demoram para se casar e, quando se casam, procuram se desvincular rapidamente de pressões familiares ou sociais. Na verdade, a mulher de mamas pequenas quer ser dona do próprio nariz e, por isso, aparenta ser autoritária. A cirurgia plástica para aumentar as mamas só dará certo se a mulher transformar seu interior primeiro. Ela precisa tornar-se mais flexível em seu comportamento, mais acolhedora e conselheira, e uma mãe equilibrada em seus zelos tanto para com seus próprios filhos quanto para com pessoas estranhas. Quando fizer isso, seu subconsciente fará o organismo reagir positivamente em relação à prótese mamaria ou mesmo no desenvolvimento natural das mamas, significando que aquela é uma mulher menos yang e mais feminina e maternal.

Quando as mamas são grandes, a mulher é yin, ou seja, tem tendência a anular-se devido a um instinto maternal exagerado. Essa característica do corpo denota a mulher que acolhe, protege e supre as necessidades de quem a solicita. Trata-se da verdadeira "mãezona" de todos, não só de seus filhos. Magoa-se com facilidade e muitas vezes deixa de realizar seus sonhos em prol dos de outras pessoas, principalmente de familiares. Quando uma mulher de mamas grandes decide fazer uma cirurgia plástica para diminuí-las, está dando um sinal inconsciente de que deseja cuidar mais de si mesma, com certeza em decorrência de uma mudança de vida pela qual esteja passando.
Se as mamas voltarem a se desenvolver após a cirurgia, isso significa que seu comportamento maternal e superprotetor resiste em ceder para a atitude mais independente e realizadora que essa mulher deseja.

 Cristina Cairo Linguagem do Corpo Vol 2




Os seios femininos fazem parte do aparelho reprodutor. No seu interior estão as glândulas mamárias responsáveis pela lactação. Em virtude da sensibilidade dessa região representam uma das principais zonas erógenas do corpo, colaborando para o prazer sexual.

No âmbito da Metafísica da Saúde eles são importantes manifestações da feminilidade, a ternura e a docilidade; a identidade afetiva das mulheres; o comportamento frente às pessoas queridas; a maneira como se dedicam e o prazer em participarem da vida do outro. O jeito como elas expressam o que sentem configura os principais fatores metafísicos das mamas, como segue:

Seios fartos: participação intensa na vida do outro; quando elas gostam dedicam-se ativamente. São mulheres amigas e solícitas, não medem esforços para colaborarem.

Seios pequenos: característicos de mulheres que conseguem manter certa descrição no relacionamento. Mesmo considerando a vida afetiva uma área importante da vida, possuem maior controle sobre as suas emoções, dosando a manifestação da afetividade.
As cirurgias para aumentar o tamanho e o formato da mama (mamoplastia de aumento), bem como a redução da mama, sugerem metafisicamente, novas configurações na maneira de amar e de se relacionar. O aumento do volume mamário, além de elevar a estima da mulher, pode despertar o senso de colaboração e maior participação na vida do outro. A cirurgia para redução, sugere ponderação e comedimento, antes de se dedicar.

Aréolas das mamas: áreas pigmentadas que circundam os mamilos. Representam metafisicamente a intensidade de participação na vida das pessoas queridas. Quanto mais extensas forem as auréolas, mais companheiras e participativas são as mulheres que costumam permanecer ativamente até o fim dos objetivos propostos. Menor extensão das auréolas, são características das mulheres que incentivam e contribuem para dar início aos projetos, porém, não são propensas e permanecerem presentes durante todo o percurso. Pode-se dizer que são ótimas incentivadora e menos companheiras.

Mamilos (papilas mamárias), também conhecido como “bico dos seios”: projeções formadas por tecido erétil, com aberturas dos ductos mamários, por meio dos quais emergem o leite durante o período da amamentação. No âmbito metafísico equivalem a disposição para participar afetivamente do meio; a satisfação por ser solicitada a interagir com as pessoas queridas, instigando a colaboração carinhosa. Quanto maior o bico dos seios, mais prestativas e quanto menor, menos atentas às solicitações, chegando até a se incomodarem e a se sentirem cobradas, quando lembradas da necessidade de participarem.

Flacidez precoce das mamas: significa perda da sustentação em si e no potencial afetivo. As mulheres passam a viver em função das pessoas queridas. Em vez de se mobilizarem pelo que sentem, dedicam-se exageradamente para serem úteis e consequentemente aceitas. Buscam o reconhecimento pelo que fazem para os outros e não pelo que realmente são ou por aquilo que sentem.

Nódulos mamários: dificuldades para interagir nos relacionamentos; bloqueios da afetividade e comprometimento da ternura e da docilidade.

Nódulos benignos: o afeto é reprimido e as mulheres apresentam certa frieza nas relações e dificuldades de expor os seus sentimentos. A afetividade fica contida, formando barreiras que dificultam os envolvimentos; as mulheres mostram-se indiferentes e demoram para se expor.

Tumores malignos nos seios: negação do afeto e significativos bloqueios dos sentimentos. São mulheres que não se deixam levar pelas emoções; elegem a razão como principal norte de sua existência; decidem racionalmente, sem levarem em consideração a afetividade. Não se comovem com os gestos de carinho, tornando-se frias e calculistas; de certa forma indiferentes para com as questões pertinentes às pessoas do seu convívio.

Leia mais sobre: Nódulos mamários


No âmbito metafísico a saúde das mamas corresponde à boa capacidade de envolvimento afetivo. É conquista das mulheres com elevada consciência afetiva, que respeitam os seus sentimentos e os expressam naturalmente. Elas participam da vida das pessoas estimadas, são cúmplices e dedicadas, sem exageros. Celebram o sentimento com docilidade e ternura e não com afazeres ou com o enaltecimento das pessoas amadas, em detrimento do excesso de colaboração aos outros e dependência da sua aprovação.

Tornem-se mulheres altivas, integradas e com boa autoestima. Fortaleçam os laços amorosos com o seu potencial afetivo e não com os excessos de empenho e a interdependência nos relacionamentos.



Por VALCAPELLI 


Leia também: ESTÉTICA

53 comentários:

  1. Talvez ninguém tenha feito comentários porque existem ainda pessoas com tabus e medos de encarar o seu próprio corpo. Mas a matéria é interessante!.

    ResponderExcluir
  2. Sou de descendência japonesa, e nós temos seios pequenos geneticamente, não tenho seios pequenos porque sou reprimida ou não gosto de me "doar" ou porque sou autoritária. Julgam demais, julgam demais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentário, já mostra que está na defensiva e se sentiu ofendida, porque não procura conhecer-se melhor? Assim...verá que o texto tem tudo haver com sua personalidade, isto é estudo de muitos anos, você não é uma excessão !!! Humildade !!!

      Excluir
    2. Não acho que ela tenha culpa, e também não acho que ela esteja errada.Ela tem o direito de se sentir ofendida, afinal o texto generalizou muito, posso até ser suspeita para fala pois meus seios também não são muito grandes, mas não acho que são todas as mulheres com seios pequenos que apresentam essas características na personalidade.Não é questão de ela ser uma exceção,o texto realmente é um pouco crítico e generalizou.Se fosse assim eu também seria uma exceção, pois eu não sou mesquinha em termos de doação,pelo contrário sou uma pessoa muito afetuosa. E falar isso não significa que eu não seja humilde,significa que simplesmente quis me defender de um ponto de vista que não é válido para mim, pois não condiz com minha personalidade verdadeira.

      Excluir
    3. Tamanho do seio nao tem nada haver com a personalidade, e sim com gens(codigo genetico) da pessoa. muita babozeira, e muita gente acreditando.

      Excluir
    4. tenho peitinho pequeno e sou muito reprimida, introvertida e tímida,.
      vou botar meu silicone kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    5. Tenho seios pequenos e coloquei protese e percebi muita semelhanca em como eu era. Hoje com a prótese me sinto muito diferente e a estima aumentou muito. Me sinto mais carinhosa e afetiva.
      A prótese aconteceu no momento certo, e ja completou 2 anos sem nenhuma rejeição. Voltei a acreditar no amor e a me entregar com mais alegria a vida.

      Excluir
    6. Ninguém sabe mais de mim mesma do q eu e as pessoas q se relacionam comigo. Com certas coisas eu me identifiquei e com outras n. Por exemplo: tenho seios pequenos, ms quando me relaciono com alguem sempre procuro dar carinho e afeto. Sou assim desde criança. Na vdd me relacionei cm um homem q era muito fechado e n correspondia. Eu me esforçava muito, pq eu me sentia bem em ser carinhosa,ms mal por ver q ele n fazia nenhum esforço. Mesmo depois de terminar o relacionamento e tentar outro, continuei do mesmo jeito. Claro q n vou me dar de qualquer jeito e para qualquer um. Tudo tem limite, pq se n, n ganhamos respeito. Isso n depende de peitos grandes ou pequenos. E seios pequenos sao característicos da minha familia, ja o bum bum é o oposto.

      Excluir
  3. em resposta a amiga acima.
    Sou Osteopata e trabalho tbm com Medicina Germânica
    Muitas vezes herdamos características familiares inconscientemente que passam de geração para geração familiar. Mesmo no âmbito oriental podemos ver mulheres com seios proporcionais, indicando as características relatadas no blog. Cada caso precisa ser visto individualmente, comportamento da pessoa em relação ao território em que ela vive, e como ela aprendeu a viver e encarar as dificuldades da vida. às vezes a pessoa pode ter facilidade de se doar em um contexto e outros nem tanto.
    Ótima matéria!
    abço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que um homem não tem como saber como uma mulher se sente em relação aos peitos dela, simplesmente pelo de não ter peitos como os nossos.

      Excluir
    2. Todos os Ginecologistas e Obstetras são portanto mulheres, é isso Juliana Lisboa?

      Excluir
    3. Boa resposta Ricardo Lemos. A leitora não foi feliz em fazer tal comentário.

      Excluir
    4. Ginecologistas e obstetras homens podem estudar mas jamais entenderão como as mulheres se SENTEM em relação aos peitos dela, à vagina dela, ao utero dela, à vida dela em geral. Se tivesse lido com atenção teria entendido o comentario da colega.

      Excluir
  4. Achei o texto tolo. Coloca na mulher a responsabilidade pelos seus seios serem de determinada forma, sendo que é uma característica puramente genética.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como explica que eu tenho os seios enormes e minha irmã tem seios bem pequeninos, temos a mesma genética, somos filhas do mesmo pai e da mesma mãe, ninguém na minha família tem seios grandes, somos todos magros e altos, eu me identifico com o texto, minha irmã tbm, o autoconhecimento é algo complicado e difícil, mas temos que encarar os nossos defeitos para que através do conhecimento e muito esforço poder modifica-los,somos responsáveis sim por tudo que acontece conosco, inclusive nosso corpo, esta é a minha opinião!!!!

      Excluir
  5. Olhaaaa, muito bom! Gostei , apesar de acreditar q não si deve acolher todas as mulheres nesse contexto pois existem exceções, afirmo que bem me cabe as características citadas por ele. Lendo a materia, pude observar que tenho amigas englobadas nela, tanto as que possuem seios grandes quanto as que possuem seios pequenos, isso afirmo pois ja os vi e pelo pouco que as conheço .

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o estudo, sobre os meus seios, de fato tudo certo,

    ResponderExcluir
  7. Sem sentido... Quer dizer que a mulher decide implantar próteses mamárias quando, psicologicamente, se tornou apta a doar-se mais e ser mais afeitva... Kkkk Sendo assim, o Brasil era pra ser o país das mulheres mais amorosas, devido a grande procura por implantes mamários... As "mulheres frutas" seriam mais doadoras?? Nossa, choquei!! Na minha opinião, tem muito modismo, capitalismo, ditadura da beleza... A massificação de certos conceitos só engana os desentendidos!!! Sentimentos negativos, atitudes reprováveis, todos os seres humanos estão sujeitos... Cada pessoa deve trabalhar esses sentimentos ruins a cada dia!! Ninguém é doadora todo o tempo,"boazinha" sempre em função do formato dos seios.... Imagine o que não devem falar de outras partes do corpo, tanto do homem quanto da mulher... Faço ideia!! Simplesmente nada a ver. Estudei psicologia e isso não tem sentido nenhum. O que vale a pena na vida é buscar ser melhor que ontem, evitar cobranças desnecessárias... Procure ser feliz com você, com seu corpo, trabalhe os sentimentos ruins quando os mesmos aparecerem, perdoe- se mais, curta- se mais! Mude e o mundo ao seu redor mudará! É uma questão de visão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sentido sim e tem a ver sim. Se vc pesquisar, até o formato do rosto (Tamanho da testa, nariz, linhas de expressões) e seus significados batem muito. São baseados em estudos milenares, não foi algo inventado querida.
      Vc é psicóloga, mas pelo visto não aprofundou o seu senso de reparar nos detalhes e de percepção. Se vc olhar cada pessoa, e perceber realmente como essa pessoa é, vc vai notar que certos grupos de pessoas parecidas tem pensamentos mais parecidos. Cabeça e mente fechada, não ajudará em seu trabalho. Se expanda, e sera mais feliz.

      Excluir
  8. To passada! Deu tudo certo comigo!!!

    ResponderExcluir
  9. Nada a ver, meus seios caíram porque tive obesidade mórbida e agora emagreci 50 kg, acho que não tem nada a ver isso aí, desculpem, mas as outras matérias do blog são bem interessantes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E porque sera que vc teve obesidade morbida? Parou pra pensar?

      Excluir
    2. E a sua obesidade morbida,nao diz alguma coisa para voce? Para para pensar!!! Nossa,que coisa! Eu tambem tive, e antes disso ja tinha seios flacidos,e me encaixo no texto,mas nao e' por isso que estou ''defendendo'' o que esta aqui.......e' uma questao de 'estudo''e informacao.

      Excluir
  10. Nossa, deu TUDO certo comigo e com outras pessoas da familia. Perfeito!

    ResponderExcluir
  11. Nunca li tanta bobagem na minha vida. E tem gente que ainda se deixa influenciar

    ResponderExcluir
  12. No âmbito metafísico, essa simbologia faz sentido, mas pelas pessoas que conheci, constatei contradições.
    E comigo, está certinho! rs

    ResponderExcluir
  13. Rapaz, muita besteira pra um texto só! Conheço várias mulheres de seios grandes que são extremamente mesquinhas e não se doam nem aos filhos. Namorei por 2 anos uma garota de seios grandes, flácidos, caídos, com aréolas grandes e bem pigmentadas e mamilo pequeno, e ela se encaixa perfeitamente na descrição de mulheres com características opostas, ela não se doa nem à mãe, é extremamente egoísta, não gosta de fazer nada nem ao ser solicitada e quando é solicitada reclama de que está sendo pressionada, é bem fria e etc... E tenho amigas de seios pequenos, aréolas pequenas e rosadas, mamilos médios, que são ótimas pessoas e se doam tanto que chega a dar vontade de protegê-las pra não serem magoadas. Isso tem muito mais a ver com a genética do que como é a personalidade da pessoa, é ridículo julgar mulheres pelo tamanho e forma de seus seios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto nao se baseia em meia duzia de mulheres,amigo. Isso e' coisa de estatistica.....estude um pouquinho. A medicina e' feita de estudo estatistico com representatividade na sociedade em numeros,pega-se uma determinada populacao e estuda-se os caracteres,existe um resultado X,e deste resultado,ha' o que se chama de desvio padrao, ou seja, a possibilidade de ERRO. Estude mais antes de escrever bobagem . Boa sorte.

      Excluir
    2. Concordo anônimo. ... texto nada a ver! Tenho seios grandes e sou vaidosa, a própria Medicina deixa explicado que isso é genético, nada tem a ver com es esses significados doidos q o povo inventa, inclusive alguns que se dizem da área! rs

      Excluir
  14. Adorei, me identifiquei e identifiquei amigas e primas! Parabéns.

    ResponderExcluir
  15. Eu creio no que os textos aqui expostos dizem pois observo que as características genéticas não determinam o tamanho dos seios. A minha mãe tem seios maiores, enquanto os meus são pequenos e nossas características correspondem com o tamanho que eles apresentam a cada uma de nós. Assim ocorre em outras famílias, em casos em que a mãe e uma irmã tem seios fartos enquanto outra irmã não os têm tanto assim.

    ResponderExcluir
  16. HAHHAHAHAHAHA QUE SITE BEM RIDÍCULO!!! Pessoa mesquinha quem escreveu essas asneiras..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesquinho e' a sua resposta,pois nao quis se identificar. O texto 'e de uma pessoa que quer ajudar ao proximo. Se voce se identificasse,em vez de se esconder atras do anonimato da internet........teria algum valor o que diz.

      Excluir
  17. Velho, perceberam que o tipo de peito julgado "perfeito" pelo padrão de beleza leva as melhores características, enquanto aqueles fora do padrão de beleza denominam uma personalidade "mesquinha" ou que se "doa de mais". AFF VSF COM ESSA GOROROBA. E que não venha um imbecil falar "é um estudo milenar" e daí caralho? Então pro estudo ser verdadeiro tem que ser antigo e extenso??? Se as pessoas que fizeram esse estudo não souberam identificar corretamente e foram movidas por padrões estéticos, foda-se que é milenar!

    O pior que tem gente que acredita -.- Só falo uma coisa pra vc: observe por si mesmo e verá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alem de voce usar uma linguagem chula,ainda esta anonimo? Ora,ridicula sua resposta. Nao tem a ver com padrao estetico. Voce e' especialista da area?

      Excluir
    2. Concordo anônimo! Exemplo é a bíblia que está aí aí milênios e é cada medita que tem nela rsrsrs acordem espíritos tardios!!!! Se auto avaliem e se auto conheçam!!!! Ai perceberão que espírito dentro de um corpo é único, e que esses estereótipos não tem nada a ver, não passa de balela, conversa pra boi dormir. rs

      Excluir
  18. Achei interessante sim, me identifiquei muito. Notei q alguns nao gostaram qd foi falado de sua persolidade mas e justamente o q foi dito. A pre-disposicao genetica q gera determinada persolidade.

    ResponderExcluir
  19. Excelente trabalho.

    O que me parece que a maior parte dos críticos desta análises se esquece é que o ser humano é um oceano de características, que incluem obviamente a forma dos seios entre milhares de outros, tais como data e hora e local de nascimento, nome.. Fazendo com que cada caso deva ser analisado holisticamente, ou seja no global de cada individuo.
    A forma dos seios é apenas uma ínfima parte. De nada serve julgá-la como um todo.

    Quanto à predisposição genética, é um facto que existe uma predisposição genética para a forma e tamanho dos seios como do restante corpo ou tendência para algumas doenças ou persona-lidades.
    Apenas porque bloqueios emocionais, não resolvidos, são passados como "herança" no código genético.
    Tenhamos a coragem de resolver as nossas questões emocionais e quando tal aconteça, geremos então um filho e vamos observar para onde foi essa treta da pré-disposição genética.

    É preciso, apenas :)), coragem para olhar para o próprio e aceitar a cura, aceitando-se. :)

    .

    ResponderExcluir
  20. Que vergonha alheia disso tudo, textos cheios de preconceitos e de futilidade. De que tipo de "psicologia/' tiraram isso? Parece que saiu de um blog troll misógino.

    ResponderExcluir
  21. Que vergonha alheia disso tudo, textos cheios de preconceitos e de futilidade. De que tipo de "psicologia' tiraram isso? Parece que saiu de um blog troll misógino.

    ResponderExcluir
  22. Que texto muito interessante! Obviamente que é generalizado e não está direcionado a uma situação em particular. Mas fez-me pensar em algumas situações / acontecimentos da vida e que se encaixam na descrição de partes do artigo. É engraçado porque nos faz olhar para o nosso corpo e na forma como vivemos o dia a dia. Deixou-me pensativa! Se o artigo vai ou não mudar a minha forma de pensar ou agir, não sei, mas influenciou a forma como me vejo. Se isso é bom ou mau, não sei, mas tornou-me mais consciente em relação a atitudes que posso mudar e isso faz toda a diferença.
    Vejo o artigo como um trabalho de alguém que resolveu explorar determinadas áreas corporais e perceber o porquê de determinadas causas, não direcionando a um determinado objetivo mas sim dando a oportunidade de abranger um grande leque de possibilidades interpretativas. Obrigada pela partilha. SP

    ResponderExcluir
  23. Quanta merda em único post...

    Mesquinho é quem escreveu isso!

    ResponderExcluir
  24. Gostei da matéria. Minha mãe tinha os seios enormes, já minha irmã, tia e avó materna têm seios pequenos. Os meus seios são médios (44). Usar soutien me incomoda muito, sinto-me aprisionada. Grata

    ResponderExcluir
  25. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  26. Confesso que quando comecei a ler, me senti muito mal pois todas as características valorizavam as mulheres de seios grandes e menosprezavam as de seios pequenos.

    Com a continuação da leitura, fui entendendo melhor o que o post quer dizer, e parei de pensar na ciência empírica para pensar em efeitos psicológicos.

    Claro que a genética é quem decide o tamanho dos seios e nao a personalidade quem decide.

    Na verdade, a personalidade é quem é afetada pela genética e pelos valores da sociedade.

    Na década de 70/80 as mulheres tinham mamas menores pela genética predominante no Brasil e se achavam extremamente lindas, porque a sociedade as consideravam lindas. Podemos reparar que a maioria das atrizes e dançarinas da época tinham seios pequenos e posavam nuas e eram ditas como musa.

    Hoje em dia, apenas mulheres de seios fartos são consideradas musas pela sociedade.

    Isso faz com que mulheres de seios pequenos, assim como eu, se sintam reprimidas por que se acham feia perante a sociedade. Por consequência, essas mulheres tem muita vergonha de seu corpo e acabam ficando parecidas à descrição desse texto.

    Na verdade, quem é responsável por nossa personalidade é a sociedade em que vivemos!! Nosso corpo combinado aos valores da sociedade determinam como nos vemos e como reagimos a isso.

    Realmente nem todas as mulheres de seios pequenos ou grandes são como as descritas no texto, porém o tamanho dos seios interferem em sua relação com a sociedade e com elas mesmas, e isso faz com que elas sejam mais confiantes ou mais reprimidas.

    Não devemos generalizar, mas devemos entender o sofrimento de toda mulher com o próprio corpo e precisamos mudar isso!! Precisamos mudar os valores da sociedade e não as mulheres que precisam mudar sua maneira de ser e nem fazer cirurgias para ter o corpo ideal!!!


    PS. Eu tenho o seio muito pequeno, sou muito infeliz por isso e já pensei inúmeras vezes em fazer cirurgia para aumentá-los e me sentir melhor. Só não a fiz até agora porque no fundo, por mais que eu não goste do meu seio, não quero ceder a imposição da beleza. Se não fossem as revistas, a TV, o estereótipo, com certeza eu seria muito feliz com meu corpo e seria tão autoconfiante que as "mulheres de seios fartos" descritas no texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De todos os comentarios, voce foi a mais lucida de todas(os), Só que esta cometendo um grande pecado , esta deixando de ser feliz para não dar o braço a torcer para a sociedade( imposição da beleza). lembre-se " Seja feliz,( você é a pessoa mais importante do mundo) se isto se adaptar ao que a sociedade pensa, qual é o problema?.
      Seja feliz é só o que importa . se voce for feliz o mundo será feliz.

      Excluir
    2. Certissima! Mas o texto fala que mulheres de seio grande querem muita atenção, entre outras coisas. Não li nada de favorável a elas pois fala até de orgulho e vaidade. Você é linda como é, não siga modismos. Porém, se tiver vontade de colocar silicone, se mudar de idéia, para deixá-los proporcionais ou por estética, faça! Não tenha vergonha, seja livre. Faça pra você e por você.

      Excluir
  27. Parabéns ! Ótimo texto, baseado sim em estudo sérios, lógico que cada caso é uma particularidade , alguém já ouviu "Conhece-te a ti mesmo" ? é bom refletir sempre e parar com comentários infantis recheados de vulgaridade e prepotência .

    ResponderExcluir
  28. "O corpo fala" _ O texto é ótimo! E, quem está generalizando são as pessoas que não souberam captar a mensagem. A genética e a metafísica andam juntas. Nem tudo serve para todas, mas muitas coisas batem direitinho comigo e com muitas mulheres que conheço. Ninguém é perfeito! Tenham esse texto como uma dica, um alerta, uma lição para melhorar sempre. Não se ofendam gurias, toda pesquisa sempre é bem vinda. Por fim, os homens podem não saber tudo sobre as mulheres, mas eles nos conhecem muito mais do que imaginamos. Respeitem eles mais, eles nos amam. ;)

    ResponderExcluir
  29. Ótima explanação. Acredito em tudo e percebo isso já que faço terapia há dois anos. Desafio todas a fazerem mesmo achando que "estão bem" ou "não precisam". Vc poderá se surpreender com você mesma. Requer muita coragem pra confrontos com vcs mesmas :) Abraços.

    ResponderExcluir
  30. Minha filha esse texto nada tem a ver com auto-conhecimento, aliás sem as pessoas se auto conhecessem mesmo não concordaria com essa matéria! Tenho seios enormes e nem por isso quero agradar a todos ou tenho essa necessidade, aliás tbm sou corajosa, e conheço pessoa com seios pequenos que são bem medrosas, por tanto não tem nada a vê o texto. Para vere, tenho seios grandes e foda se o que vão pensar de mim. Hehehehehe parem de querer intitular as mulheres através disso e daquilo, ah e tenho seios grandes e sou vaidosa sim, nada de esculacho rs fica a dica!

    ResponderExcluir
  31. Há anos leio textos de metafísica e quanto mais estudo chego a conclusão que não se torna viável rotular a pessoa devido o formato de seu corpo.Os próprios escritores não entram em um censo comum.No caso dos seios no grupo de mulheres que conheço e me incluindo o texto não bateu vi característica da mulher de peito pequeno na descrição da de seio grande e vice versa.Quando trabalhava com grupos em trabalhos assistenciais presenciei pessoas acreditando ser portadora de tais características comportamentais sem tê-las, mas por lerem o livro da Cristina Cairo sobre a forma do corpo e seu significado acreditaram no que lendo mesmo não representando o seu comportamento, por isso eu não concordo com esses rótulos, acho que tem que ser usado com critério.

    ResponderExcluir