Translate

Pesquisar este blog

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

DIABETES

O mau humor e o derrotismo afetam o pâncreas e podem causar o diabetes



O pâncreas é um órgão discreto e essencial para o metabolismo corporal. Ele desempenha dupla função: endócrina e exócrina.
Como glândula exócrina, produz um líquido alcalino denominado suco pancreático, que é secretado no duodeno para neutralizar a acidez do quimo (substância que sai do estômago carregada de ácidos). Esse suco possui enzimas poderosas que encerram o processo de desmembramento dos componentes do quimo, favorecendo a digestão.
A função desempenhada pelo pâncreas como glândula endócrina consiste na produção de insulina e de glucagon. Esses hormônios formam uma espécie de “gangorra química” que equilibra os níveis de glicose (uma das principais fontes de energia) na corrente sanguínea.
A função da insulina é transportar a glicose até os tecidos e garantir a sua entrada nas células para a produção de energia. O glucagon estimula o fígado a liberar mais açúcar para o sangue, regulando o nível de glicose na corrente sanguínea.
Os aspectos metafísicos relacionados às funções exócrinas do pâncreas consistem em contemporizar os acontecimentos, ter habilidade para lidar com as situações difíceis do cotidiano de maneira relativamente equilibrada e, assim, apropriar-se dos conteúdos essenciais das ocorrências.
Evite reagir com drama, escândalo ou desespero. Dramatizar agrava os acontecimentos e dificulta o entendimento da situação. Responder escandalosamente desperdiça energias poderosas que, se forem bem canalizadas, transformariam as situações ruins.
As funções endócrinas do pâncreas, segundo a Metafísica da Saúde, referem-se à administração interna das fortes emoções, canalizando essas forças poderosas do ser com sabedoria, preservando a disposição, a alegria e o bom humor. Essas atitudes preservam a qualidade de vida e mantêm a saúde pancreática.
Os bons resultados exteriores são consequências da estabilidade emocional. A capacidade de gerenciar as emoções e mantê-las estáveis pode ser denominada Inteligência Emocional, que consiste em controlar as reações instintivas e promover respostas mais apropriadas ou assertivas para os problemas exteriores.
Dentre as principais doenças do pâncreas, a mais comum é o diabetes. Existem dois tipos da doença: o tipo 1 (em que ocorre a destruição das células do pâncreas que produzem a insulina) surge na infância ou no adulto jovem, requer o uso de insulina no tratamento e representa aproximadamente 10% dos diabéticos; o tipo 2 (em que ocorre a redução da produção de insulina ou a incapacidade do organismo de usá-la), que representa cerca de 90% dos casos, geralmente ocorre após os 35 anos de idade e seus sintomas são leves, podendo passar despercebidos, o que dificulta seu diagnóstico..

Aspectos da Metafísica da Saúde
Diabetes tipo 1: destaca-se uma espécie de “torpor emocional” diante das adversidades. Trata-se de jovens que não sabem administrar suas emoções e se comportam de maneira aparentemente indiferente aos acontecimentos, recorrendo ao isolamento. Não raro, esboçam visível mau humor. A impulsividade característica dos jovens fica reprimida, “fecham a cara” diante de algum contratempo e ficam “emburrados”, como se diz popularmente.
Novo padrão: deve-se procurar resgatar as forças interiores e restabelecer o bom humor.
Diabetes tipo 2: os incontáveis sofrimentos da trajetória de vida da pessoa constituem uma espécie de “engessamento emocional” que inibe sua capacidade de reagir às adversidades. Os esforços para manter a tolerância comprometeram a força reativa, “anestesiando” sua impetuosidade.
Essa conduta dificulta a interação harmoniosa com o meio e a pessoa prefere se isolar para não ser intransigente.
Esse tipo de diabetes representa o uso indevido da inteligência emocional. Em vez de ordenar as forças reativas, reprime seus impulsos de tal forma que suas emoções ficam abaladas, comprometendo a disposição para se dedicar a novos projetos de vida ou a outros relacionamentos.
Novo padrão: dedique-se a resgatar o sabor pela vida, transforme as experiências adquiridas em combustível para modificar as situações desagradáveis do cotidiano.
Extraído do livro "Vivendo numa boa" autor Valcapelli - Ed. Vida & Consciência

A ALMA FEMININA

A natureza da mulher e a sua criatividade promovem saúde e qualidade de vida





O universo feminino é repleto de conteúdos integradores que mobilizam as mulheres a interagirem, estabelecendo suas relações interpessoais e afetivas. As mulheres costumam ser mais humanas e acolhedoras, importam-se mais com as pessoas do que com as condições materiais propriamente ditas.
Mesmo buscando o melhor para si, elas não negligenciam a interação com os outros e, não raro, dedicam-se a beneficiar aqueles que estão ao seu redor.
Você, mulher, já observou quão significativa é a opinião dos outros, principalmente a seu respeito. O que os outros fazem ou falam pesa em seu modo de agir.
A irreverência feminina é algo que exige demasiado esforço, pois romper as barreiras estabelecidas pelo meio é algo difícil. Por isso é incomum encontrar mulheres revolucionárias. Elas fazem mudanças agindo nas bases, ou seja, propagando seus conceitos para o grupo, tornando-se formadoras de opinião.
Segundo a Metafísica da Saúde, os potenciais femininos estão associados às condições do aparelho reprodutor. De modo geral, a aceitação das suas próprias características e a elevada autoestima são componentes emocionais decisivos para a saúde dos órgãos reprodutores femininos. As funções de cada órgão equivalem a determinados talentos da mulher, como veremos a seguir.

Ovários
Dentre as funções fisiológicas dos ovários, destacam-se o amadurecimento e a liberação do ovócito (célula germinativa feminina), a produção de hormônios (os principais são o estrogênio e a progesterona) e a preparação do corpo da mulher para eventual fertilização.
No âmbito metafísico, esses órgãos correspondem à criatividade da mulher e à sua capacidade de administrar as adversidades e procurar alternativas para sanar os problemas.
A criatividade feminina extrapola as situações concretas. Não se trata apenas de buscar soluções, mas sim de melhorar as condições de convívio, visando principalmente à harmonia no ambiente.
A saúde ovariana é consequência da preservação desse potencial, de expor as suas ideias com ousadia e atrevimento.

Cistos de ovário
São formações que contêm serosidades produzidas pelos próprios ovários. Representam os bloqueios da criatividade e a dificuldade de expor livremente o que tem vontade. A mulher reprime as suas ideias e evita dar palpites, temendo críticas dos outros.
Novo padrão: procure expressar seus sentimentos livremente diante de outras pessoas, não se sinta constrangida, especule, ouse e experimente. Isso fará você se sentir feliz e promoverá a saúde ovariana.

Síndrome dos ovários policísticos
Esta síndrome, que acomete até 10% das mulheres jovens em idade fértil, provoca alterações no ciclo menstrual e é responsável por 30% dos casos de infertilidade .
O padrão metafísico consiste na ineficiência da criatividade. As jovens mulheres que sofrem desta síndrome são ágeis e dinâmicas, repletas de ideias, mas não conseguem viabilizar de maneira prática e eficiente as alternativas que têm em mente. Querem resolver os problemas dos outros e são negligentes consigo mesmas.
Novo padrão: procure usar seu potencial para sanar suas próprias dificuldades. Não se sinta responsável pelos insucessos alheios.

Útero
Órgão da gestação e do parto, esse é um ambiente biológico que todos nós habitamos no princípio da vida. Ele representa uma espécie de “berço da vida humana”. O período de gestação representa uma pequena parte da vida da mulher; na maior parte dela, o útero permanece ocioso, apenas sendo ativado no período fértil e escamado nas menstruações.
Os aspectos da Metafísica da Saúde relacionados ao útero consistem no jeito de ser das mulheres, na maneira de se comportarem e de conduzirem os acontecimentos. Preservar o próprio estilo e ser fiel à sua natureza são atitudes metafisicamente saudáveis para o útero.
A trajetória de vida segue cursos variados, mas em todos os caminhos deve-se manter peculiaridades. Nortear-se pelo meio ou basear-se nos outros é uma conduta coerente, mas anular-se, imitar ou agir do mesmo jeito que as pessoas ao seu redor representa uma repressão do seu estilo.
Por melhor que sejam os resultados obtidos com essa inversão de valores e desconsideração de si mesma, os sentimentos não são agradáveis e a frustração e a infelicidade se sobrepõem aos bons resultados materiais.
 Para as mulheres, em especial, os sentimentos são primordiais. Portanto, a falta de seus próprios componentes internos na execução das tarefas gera um vazio interior que pode ser somatizado no útero, provocando nódulos uterinos (miomas e fibromas uterinos).
Para manter a saúde desse órgão, é necessário voltar a ser a mulher que era antes: independente, autêntica, que associava austeridade com amabilidade; é necessário deixar de lado a mulher que aprendeu a socializar-se anulando-se.
Confie em si mesma, desenvolva a autoadmiração, prestigie a sua maneira de agir e considere os resultados obtidos pelo grau de satisfação, não pela impressão causada aos outros.
A melhor maneira de ser feliz é com autenticidade e não com conquistas exteriores.

Extraído do livro "Vivendo numa boa" autor Valcapelli - Ed. Vida & Consciência

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Diarreia

A diarreia é um sintoma comum de perturbação gastrointestinal. Pode ser devida
a várias causas: infecções agudas, lesão intestinal, intoxicação, etc.
No âmbito metafísico, a diarreia reflete a recusa em absorver aquilo que se
passa ao redor. É um impulso de desprender-se das situações desagradáveis ou das 
interferências energéticas.  

A diarreia revela uma falta de habilidade nas transições. Quando as pessoas são
acometidas por esse mal, demonstram que inicialmente elas se sujeitaram a
determinadas situações a ponto de ficarem saturadas. Em seguida agem de maneira 
extrema no sentido de eliminarem completamente aquilo que se tornou uma 
complicação em sua vida.

Essa atitude de acabar com algo que já saturou não é saudável para o físico,
haja vista ser causadora da diarreia. Tampouco é positiva para o emocional, porque, 
agindo assim, a pessoa não absorve o aprendizado que a experiência poderia lhe 
proporcionar. Aqueles que apresentam freqüentes sintomas de diarreia têm 
personalidade extremista. Primeiramente se apegam aos outros ou à situação, 
exagerando na dedicação; em seguida, dão total desprezo.

A diarreia demonstra a necessidade de tornar-se flexível e moderado nas
transformações, permitir o curso natural no processo de mudança. Não precipite os 
acontecimentos nem atropele o andamento das coisas. Você pode cometer injustiças 
ou se arrepender das atitudes impensadas. Confie. Aquilo que é para ser, cedo ou 
tarde acontece, e, o que for preciso ser feito, você saberá o momento e a intensidade 
de seus atos.


Metafísica Da Saúde ; Valcapellli & Gasparetto. 

terça-feira, 27 de setembro de 2016

SÍNDROME DE SJÖGREN (SS)

REVOLTA E INDISPOSIÇÃO EM ABSORVER OS EPISÓDIOS DA VIDA



Lesão inflamatória caracterizada pela secura na boca, olhos, nariz e outras mucosas. Sua causa é desconhecida pela medicina, porém o padrão metafísico das pessoas que contraem essa disfunção glandular pode ser compreendido de acordo com a região afetada. Vejamos alguns exemplos: 

 Atrofia das glândulas salivares. A saliva é diminuída e há extrema secura resultante na boca e nos lábios. 

 Essa disfunção está diretamente relacionada com a indisposição da pessoa em aceitar o estilo de vida que leva. Não gosta das coisas que tem, por isso não tem a mínima vontade de digerir os fatos que ocorrem à sua volta. 

 Não sente prazer naquilo que faz, demonstrando uma profunda indiferença em participar do meio. 

 Essa falta de umidade natural também pode ocorrer nas membranas mucosas do nariz, garganta, laringe e brônquios. A secura do trato respiratório freqüentemente leva a infecções pulmonares e algumas vezes à pneumonia, porque a falta de umidade da mucosa não permite a aderência dos agentes infecciosos, possibilitando que estes atinjam os pulmões e alvéolos pulmonares.

 Vimos anteriormente que a pneumonia ocorre por causa do cansaço da vida, que leva a pessoa ao desespero, podendo até causar a morte. Pois bem, a causa dessa secura da mucosa nasal ocorre pela indisposição em aceitar as idéias e conceitos, que são representados pelo ar inspirado. Essa postura interna do indivíduo pode estar associada aos conflitos familiares, brigas e discussões que provocam e ocasionam a recusa na aceitação de suas próprias limitações. Isso irá refletir no organismo, provocando a secura das fossas nasais, que representa o despreparo da pessoa para absorver o oxigênio. 

 Em algumas pessoas a SS afeta os olhos, causando atrofia das glândulas de secreção lacrimal e provocando a dessecação da córnea e da membrana que recobre a parte anterior do globo ocular, o que dificultará o processo visual e os movimentos das pálpebras. 

 Geralmente a SS, que afeta os olhos, está associada à conjuntivite (ceratoconjuntivite seca). Esta tem raiz no sentimento de raiva do que vemos, deixando-nos frustrados diante dos fatos. 

 A secura dos olhos ocorre mais comumente na mulher adulta, provocada por situações que presenciou e as quais se recusa a perdoar, também por não compreender e criticar a autoridade expressa do que viu ou pelo desejo de punição que tem origem na raiva provocada por não ter feito nada diante daquela cena insuportável para ela. 

 Essa situação altamente conflitante gera fortes bloqueios, que, além de provocarem esses distúrbios oculares, podem causar muita dor durante o ato de chorar. As lágrimas representam um grande sacrifício que é acompanhado de dor, tamanhos os bloqueios que se mantêm arraigados no ser e a resistência em se desvencilhar deles. 

Metafísica da Saúde Vol. 3

CAXUMBA OU PAROTIDITE

SENTIR-SE IMPOTENTE DIANTE DOS FATOS



É uma doença provocada por vírus, geralmente causando aumento doloroso das glândulas salivares. Embora possa ocorrer em qualquer idade, a maioria dos casos ocorre em crianças com idade entre cinco e quinze anos.
O sintoma mais comum é a dor ao mastigar ou engolir, especialmente ao deglutir líquidos ácidos como vinagre ou suco de limão.
O que deixa uma pessoa vulnerável à caxumba é a extrema dificuldade em receber os acontecimentos da vida, a maneira dolorida com que recebe as idéias e os conceitos do ambiente. Sente-se impotente diante da situação e totalmente despreparada para absorvê-la. Os fatos são recebidos com muito ardor, por isso engolir algo ácido fere tanto.
O aumento das glândulas salivares com dor demonstra o quanto a pessoa se sente obrigada a engolir as situações, e a dor em ter que aceitar caracteriza bem a instalação da caxumba no organismo. Esse estado ocorre com mais freqüência em crianças pela necessidade de adaptação com o meio e pelo teor inabalável das idéias provenientes dos pais que são contrárias a seus princípios.
Metafísica da Saúde Vol. 3



GLÂNDULAS SALIVARES 

SENTIR-SE PREPARADO PARA OS ACONTECIMENTOS 

A secreção do fluxo salivar favorece a mastigação e deglutição dos alimentos, lava as bactérias e os restos de comida dos dentes e favorece a limpeza oral. 

 A presença da saliva também demonstra um preparo da cavidade bucal para a recepção dos alimentos e o início do processo digestivo. Quando estamos colocando a comida no prato, apanhando-a com o garfo e levando-a à boca, já ocorre a secreção salivar, causada por um estímulo puramente psicológico e não físico. É claro que, quando o alimento está na boca, a secreção de saliva aumenta de acordo com a necessidade de maior ou menor fluxo, para facilitar a deglutição. O estímulo psicológico pode ser constatado quando pensamos num prato saboroso e a boca se enche de saliva. 

 A boca umedecida pela saliva é uma condição primordial para a recepção e absorção dos alimentos. 

 As glândulas salivares têm uma relação com o prazer: quando gostamos de algo, salivamos. Existe até um dito popular que se refere a "estar babando de vontade". Esse fato é notório nos bebês: quando eles gostam de algo ou de uma pessoa, sua salivação aumenta. 

 A produção de saliva representa o preparo interior e sua predisposição em receber os agentes externos: as idéias, situações e fatos da vida. Seu bom funcionamento ocorre quando a pessoa quer e sente prazer em receber o novo. 

Os problemas nessas glândulas podem surgir quando nos recusamos a aceitar os fatos ou perdemos o prazer na vida. 

Metafísica da Saúde Vol. 3