Translate

Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de setembro de 2016

SÍNDROME DE SJÖGREN (SS)

REVOLTA E INDISPOSIÇÃO EM ABSORVER OS EPISÓDIOS DA VIDA



Lesão inflamatória caracterizada pela secura na boca, olhos, nariz e outras mucosas. Sua causa é desconhecida pela medicina, porém o padrão metafísico das pessoas que contraem essa disfunção glandular pode ser compreendido de acordo com a região afetada. Vejamos alguns exemplos: 

 Atrofia das glândulas salivares. A saliva é diminuída e há extrema secura resultante na boca e nos lábios. 

 Essa disfunção está diretamente relacionada com a indisposição da pessoa em aceitar o estilo de vida que leva. Não gosta das coisas que tem, por isso não tem a mínima vontade de digerir os fatos que ocorrem à sua volta. 

 Não sente prazer naquilo que faz, demonstrando uma profunda indiferença em participar do meio. 

 Essa falta de umidade natural também pode ocorrer nas membranas mucosas do nariz, garganta, laringe e brônquios. A secura do trato respiratório freqüentemente leva a infecções pulmonares e algumas vezes à pneumonia, porque a falta de umidade da mucosa não permite a aderência dos agentes infecciosos, possibilitando que estes atinjam os pulmões e alvéolos pulmonares.

 Vimos anteriormente que a pneumonia ocorre por causa do cansaço da vida, que leva a pessoa ao desespero, podendo até causar a morte. Pois bem, a causa dessa secura da mucosa nasal ocorre pela indisposição em aceitar as idéias e conceitos, que são representados pelo ar inspirado. Essa postura interna do indivíduo pode estar associada aos conflitos familiares, brigas e discussões que provocam e ocasionam a recusa na aceitação de suas próprias limitações. Isso irá refletir no organismo, provocando a secura das fossas nasais, que representa o despreparo da pessoa para absorver o oxigênio. 

 Em algumas pessoas a SS afeta os olhos, causando atrofia das glândulas de secreção lacrimal e provocando a dessecação da córnea e da membrana que recobre a parte anterior do globo ocular, o que dificultará o processo visual e os movimentos das pálpebras. 

 Geralmente a SS, que afeta os olhos, está associada à conjuntivite (ceratoconjuntivite seca). Esta tem raiz no sentimento de raiva do que vemos, deixando-nos frustrados diante dos fatos. 

 A secura dos olhos ocorre mais comumente na mulher adulta, provocada por situações que presenciou e as quais se recusa a perdoar, também por não compreender e criticar a autoridade expressa do que viu ou pelo desejo de punição que tem origem na raiva provocada por não ter feito nada diante daquela cena insuportável para ela. 

 Essa situação altamente conflitante gera fortes bloqueios, que, além de provocarem esses distúrbios oculares, podem causar muita dor durante o ato de chorar. As lágrimas representam um grande sacrifício que é acompanhado de dor, tamanhos os bloqueios que se mantêm arraigados no ser e a resistência em se desvencilhar deles. 

Metafísica da Saúde Vol. 3

CAXUMBA OU PAROTIDITE

SENTIR-SE IMPOTENTE DIANTE DOS FATOS



É uma doença provocada por vírus, geralmente causando aumento doloroso das glândulas salivares. Embora possa ocorrer em qualquer idade, a maioria dos casos ocorre em crianças com idade entre cinco e quinze anos.
O sintoma mais comum é a dor ao mastigar ou engolir, especialmente ao deglutir líquidos ácidos como vinagre ou suco de limão.
O que deixa uma pessoa vulnerável à caxumba é a extrema dificuldade em receber os acontecimentos da vida, a maneira dolorida com que recebe as idéias e os conceitos do ambiente. Sente-se impotente diante da situação e totalmente despreparada para absorvê-la. Os fatos são recebidos com muito ardor, por isso engolir algo ácido fere tanto.
O aumento das glândulas salivares com dor demonstra o quanto a pessoa se sente obrigada a engolir as situações, e a dor em ter que aceitar caracteriza bem a instalação da caxumba no organismo. Esse estado ocorre com mais freqüência em crianças pela necessidade de adaptação com o meio e pelo teor inabalável das idéias provenientes dos pais que são contrárias a seus princípios.
Metafísica da Saúde Vol. 3



GLÂNDULAS SALIVARES 

SENTIR-SE PREPARADO PARA OS ACONTECIMENTOS 

A secreção do fluxo salivar favorece a mastigação e deglutição dos alimentos, lava as bactérias e os restos de comida dos dentes e favorece a limpeza oral. 

 A presença da saliva também demonstra um preparo da cavidade bucal para a recepção dos alimentos e o início do processo digestivo. Quando estamos colocando a comida no prato, apanhando-a com o garfo e levando-a à boca, já ocorre a secreção salivar, causada por um estímulo puramente psicológico e não físico. É claro que, quando o alimento está na boca, a secreção de saliva aumenta de acordo com a necessidade de maior ou menor fluxo, para facilitar a deglutição. O estímulo psicológico pode ser constatado quando pensamos num prato saboroso e a boca se enche de saliva. 

 A boca umedecida pela saliva é uma condição primordial para a recepção e absorção dos alimentos. 

 As glândulas salivares têm uma relação com o prazer: quando gostamos de algo, salivamos. Existe até um dito popular que se refere a "estar babando de vontade". Esse fato é notório nos bebês: quando eles gostam de algo ou de uma pessoa, sua salivação aumenta. 

 A produção de saliva representa o preparo interior e sua predisposição em receber os agentes externos: as idéias, situações e fatos da vida. Seu bom funcionamento ocorre quando a pessoa quer e sente prazer em receber o novo. 

Os problemas nessas glândulas podem surgir quando nos recusamos a aceitar os fatos ou perdemos o prazer na vida. 

Metafísica da Saúde Vol. 3

terça-feira, 30 de agosto de 2016

A relação entre doenças e emoções - A doença é a cura


Nossa saúde é um reflexo das nossas crenças e pensamentos. 
Criamos uma realidade em nosso mundo mental, que define nosso padrão vibratório e os acontecimentos do dia a dia.

Nossos problemas não nascem na crise econômica, na frente fria, no trânsito, na violência, no chefe, no vizinho, no marido, etc...A principal causa dos nossos maiores problemas e infortúnios estão dentro de nós mesmos: nossas emoções, nossos pensamentos e nossas crenças. A forma que regiamosa isso tudo.

Guardar emoções negativas no seu coração, enfraquece seu sistema imunológico, possibilitando que qualquer reação física afete a sua saúde, assim como nossos pensamentos de revolta, vingança, violência podem atrair acidentes.

Conhecimento é poder. Conhecendo a relação que existe entre as doenças e os comportamentos/ crenças, podemos nos ajudar a mudar. Os livros Linguagem do Corpo (Cristina Cairo), Você Pode Curar a Sua Vida (Lousie L. Hay) eMetafísica da Saúde (Luiz Gasparetto e Valcapelli) são uma boa dica para quem deseja romper com a crença da hereditariedade, a crença do infortúnio ou que algumas coisas (doenças) acontecem em nossas vidas por mero acaso, vírus ou bactéria. 

Para todos os "males" existe uma co-relação emocional e comportamental queesses livros ajudam a identificar, dói quando se lê, algumas coisas vão parecer tapas bem dados na cara e a primeira reação é negar: "Eu não sou assim" "Eu não faço isso"...

A informação aliado ao trabalho de observação e conhecimento interno pode mover montanhas, pode curar tudo, porque a cura da alma vem através da doença do corpo, por mais paradoxo que isso possa parecer. A doença nos ajuda a mudar um comportamento e crenças que nem sempre são conscientes e estão nos fazendo mal, quando descobrimos o padrão mental que está por detrás de cada doença, temos a oportunidade de modificá-lo e de nos curar, o corpo fala, nos avisa quando insistimos nesses comportamentos e que já passou da hora de mudar. 

Os remédios curam os sintomas, se a causa não foi trabalhada, a doença volta. 

Louise Hay diz:

1- Procure a causa mental. Veja se vale pra você. Se não sente-se em silêncio, tranquilize-se e pergunte-se: "Quais seriam os pensamentos que criaram isto em mim?"

2- Repita consigo mesmo: "Eu estou disposto a soltar o padrão em minha consciência que criou esta condição".

3- Repita o novo padrão de pensamento várias vezes.

4- Tenha como certo que você já está no processo de cura. Sempre que pensar na sua doença, repita as etapas. 

Os exemplos abaixo estão extremamente resumidos e são da Cristina Cairo. A intenção é que você dê o primeiro passo, estamos reaprendendo a pensar, porque nossa casa mental (nossos pensamentos) define/cria nosso mundo. Faça bom uso das informações que lhe chegam. 

"As doenças são os resultados não só dos nossos atos, mas também dos nossos pensamentos". 
Mahatma Gandhi


Exemplos:

Acidentes
Rebelião contra autoridade. Crença em violência, raiva.
CURA: Paz e segurança. Eu amo e aceito tudo na vida.

Acne
Não se aceitar; desamor de si.
CURA: Eu me amo, eu me aceito onde eu estou agora. Eu sou maravilhoso.

Adenóides
Atritos familiares, discussões. Criança se sente mal querida.
CURA: A criança é querida e bem-vinda.

Alcoolismo
Sentimentos de futilidade, inadequação, culpa e auto-rejeição.
CURA: Eu relaxo o passado. Eu tenho valor. Eu me amo e me aceito agora.

Alergias
A quem você é alérgico? Falso ego e sensibilidade.
CURA: Eu estou em Paz. O mundo é seguro e amigo.

Amigdalite
Emoções reprimidas e medo; raiva reprimida.
CURA: Nada impede o bom em mim. Eu permito a liberdade de expressão, das idéias divinas, que fluem e ganham significado em mim.

Anemia
Falta de prazer; desinteresse da vida.
CURA: Meu mundo é cheio de alegria e estou interessado em tudo.

Apendicite
Medo da vida; bloqueio do fluxo das sensações.
CURA: Alegria; eu relaxo e deixo minhas sensações fluírem.

Arteriosclerose
Resistência; tensão; abertura mental estreita.
CURA: Eu estou completamente aberto para a vida e a alegria. A vida é boa.

Artrite
Amargura, ressentimento, crítica, sentimentos de desamor. Amor e perdão.
CURA: Eu deixo os outros serem eles mesmo. Eu sou livre.

Asma
Super sensibilidade; amor sufocado; supressão do choro, sentimentos sufocados.
CURA: Eu sou livre. Eu me encarrego da minha própria vida. Eu posso expressar meus sentimentos como eles são.

Ataques, golpes, congestão
Rejeição da vida; auto-violência, resistência extrema.
CURA: Eu aceito a vida passada, presente e futura. Vida e alegria.

Bexiga (problemas)
Ansiedade; resistência contra novas idéias.
CURA: Eu abandono o passado, despreocupo me do futuro. Eu aceito o que é novo, agora.

Boca (problemas)
Incapacidade de engolir idéias; fixação de opiniões e mente fechada.
CURA: Eu dou boas-vindas a idéias e conceitos novos.

Bronquite
Ambiente familiar inflamado. Paz.
CURA: Ninguém consegue irritar-me.

Bursite
Raiva reprimida, vontade de bater em alguém.
CURA: Eu relaxo a raiva de maneira que ela não cause mal. O amor relaxa.

Câimbras
Tensão; segurar-se; oprimir-se.
CURA: Eu relaxo e deixo a vida fluir.

Câncer
Profundos segredos ou aflições corroendo o Eu; retenção longa dos ressentimentos;ferimentos profundos.
CURA: Não existem segredos. Eu deixo que o passado se vá. Meu presente é preenchido com alegria.

Catarata
Futuro pouco claro; inabilidade de ver a frente.
CURA: Eu sou livre. A vida é eterna e cheia de alegria.

Ciática
Medo do dinheiro e do futuro.
CURA: Eu me movimento no melhor de tudo. Meu bem está em todo lugar e eu estou seguro.

Cisto
Crescimento falso; fomentação de choques e machucados emocionais.
CURA: Eu dissolvo velhas raivas. Nada pode ferir-me.

Coceira
Desejos insatisfeitos, remorso; punição e culpa.
CURA: Tudo que eu precisar estará sempre aqui. Eu aceito tudo de bom sem sentimentos culposos.

Colesterol
Entupimento dos canais do prazer; medo de aceitar o prazer.
CURA: O prazer é normal. Meus canais estão largamente abertos. Eu amo a vida.

Colite
Pais superexcitados; opressão, menosprezo; necessidade de afeto.
CURA: Eu sou livre-pensador. Eu estou em paz na minha mente.

Contensão, (machucaduras, esgotamento)
Pequenos impactos da vida.
CURA: Não existe razão para eu bater na vida. Eu estou agindo com amor.

Coração
Problemas emocionais sérios longamente suportados; falta do prazer, rejeição da vida. Crença nas pressões e no esforço.
CURA: Alegria, alegria, alegria, amor e paz. Eu prazerosamente aceito tudo na vida.

Corcunda
Raiva atrás de você, ressentimento conservado.
CURA: Eu vejo o passado com alegria. Ninguém jamais me fez mal.

Crescimento
Nutrir ferimentos emocionais, falso senso de valores e orgulho.
CURA: Perdão. Eu amo a mim mesmo. Não irei fazer-me mal.

Dedos
Super exagerar os detalhes da vida (unhas- super analisar).
CURA: Eu relaxo conscientemente de que a sabedoria da vida cuida dos detalhes.

Defeitos de nascença
Necessidade de reencarnação; você pediu para vir assim. Não se sinta culpado. Você e seus pais, têm algo a aprender.

Dentes
Sustentar longas indecisões; incapacidade de derrubar idéias por análise ou decisão.
CURA: Eu faço minhas decisões baseado nos princípios da verdade e fico seguro com o resultado.

Deslocamento de disco
Indecisão; não se sentir emocionalmente amparado pelos outros.
CURA: Eu sou corajoso e independente. Eu sou amparado pela vida.

Desmaios
Medo; não poder conviver ou enfrentar; apagar-se de tudo.
CURA: Eu tenho poder, força e conhecimento para lidar com tudo na vida.

Diabetes
Profundo sentimento de mágoa; falta de açúcar na vida.
CURA: Eu permito que a vida seja gostosa. Eu deixo o passado ser apenas passado. Eu aceito que o prazer e a alegria sejam as bases da minha vida.

Doenças venéreas
Culpa sexual; crença de que os órgãos genitais são pecaminosos e sujos; necessidade de punição.
CURA: Eu amorosa e prazerosamente aceito minha sexualidade e sua expressão. Não há culpa sem punição.

Dor
Congestão, bloqueio; crença em barreiras; punição, culpa.
CURA: Eu descanso minha necessidade de punição. Eu deixo a vida fluir.

Dor de Cabeça
Tensão, revolta, contrariedades emocionais. Sentimentos feridos.
CURA: Paz, amor, alegria, relaxamento. No meu mundo tudo está bem.

Dor de ouvido
Raiva; não querer ouvir. Eu ouço com amor e prazer.
CURA: Sempre escuto o bom de tudo.

Edema
Super sensibilidade, individualidade machucada. Personalidade ferida.
CURA: Eu sou seguro, ninguém ameaça minha individualidade.

Enjôo de carro
Medo-dependência, sentimento de ser pego em armadilhas.
CURA: Eu ando facilmente no tempo e espaço. Não existe o medo.

Enjôo do mar
Medo; medo da morte.
CURA: A vida continua. Não existe a morte. Somente mudanças.

Enlouquecer
Reter amor e consideração.
CURA: Eu respondo à vida, reparto meus sentimentos e meu amor. Eu sinto... eu amo...

Envelhecer
Crença social; velhos pensamentos.
CURA: Eu me amo e me aceito em todas as idades; cada idade é perfeita. Eu sou espírito. Eu sou eterno.

Enxaqueca
Resistência ao fluir da vida; medos sexuais. Desperdícios emocionais.
CURA: Eu descanso no fluxo da vida. Deixo-a fluir através de mim.

Epilepsia
Rejeição da vida; sensação de perseguição; violência contra si.
CURA: Eu amo a mim mesmo e a toda a vida. A vida é uma eterna alegria.

Esclerose múltipla
Dureza mental, coração endurecido, vontade de forra; inflexibilidade.
CURA: Eu não tento me controlar. Eu me solto com alegria na vida.

Espinhas
Crença na feiúra, culpa, ódio de si.
CURA: Eu não propago pensamentos feios. Eu amo todo o meu corpo. Não há culpa.

Estomago (problemas)
Incapacidade de assimilar idéias. Medo de novas idéias.
CURA: Eu assimilo novas idéias facilmente. A vida concorda comigo.

Excesso de peso
Insegurança; auto-rejeição; procura de amor. Medo de perda, sufocar sentimentos.
CURA: Eu me aceito e me amo como eu sou. Eu sou sempre seguro no espiritual.

Face (doenças)
Representa individualidade, reconhecimento.
CURA: Reconheço meus verdadeiros valores. Minha individualidade.

Fadiga
Resistência, aborrecimento; falta de amor pelo que faz.
CURA: Estou entusiasmado com a vida. Cheio de Energia.

Febre (SEM INFECÇÃO)
Queimar-se com alguém ou algo; raiva.
CURA: Eu sou calmo, exprimo amor e paz.

Febre do Feno
Congestão emocional; confusão nas crenças; medo do moralismo.
CURA: Eu nego qualquer moralismo. Eu sou uno em tudo na vida.

Gagueira
Insegurança; falta de auto-expressão.
CURA: Eu me permito falar por mim. Eu me comunico com amor.

Garganta
Repressão de raiva; ferimentos emocionais engolidos.
CURA: Eu me expresso com alegria. Ninguém pode ferir-me.

Gastrite (gases)
Reter idéias indigestas; sufocar o ar por medo.
CURA: Eu deixo a vida fluir através de (gases) mim.

Gengivas (problemas)
Inabilidade de levar avante as decisões uma vez que elas sejam tomadas.
CURA: Eu sou uma pessoa decidida. Eu deixo-me ir pela vida.

Glândulas (problemas)
Desequilíbrio; falta de ordem; distribuição insuficiente.
CURA: Eu estou em equilíbrio total. Meus sistemas estão em ordem.

Glaucoma
Pressão emocional por sustentar por longo tempo sentimentos feridos.
CURA: Ninguém pode jamais me ferir. Eu vejo com amor e ternura.

Gota
Impaciência, raiva, dominação.
CURA: Eu deixo o ego e sentimentos de superioridade irem-se. Deixo .os outros serem o que são.

Gripe
Respostas a negatividade e crença geral; medo, crença em estatísticas.
CURA: Eu não sou governado pelas crenças de grupos ou preconceitos.Eu sou livre de todas influências.

Hemorróidas
Carga, pressão, tensão, medo de deixar acontecer.
CURA: Eu descanso todo o peso e as cargas. Eu vivo na alegria do presente.

Hepatite
Medo, raiva, ser odiado. O fígado é o local da raiva e emoções primitivas.
CURA: Eu deixo ir agora tudo que não preciso mais, minha consciência esta limpa, cheia de vida.

Hérnia
Carga, resistência mental, autopunição; raiva; expressões criativas incorretas.
CURA: Minha vida é calma e harmoniosa. Eu me amo com ternura.

Herpes
Prolongada suspensão nervosa.
CURA: Estou descansado de todos os meus pensamentos e de todas atividades. Que a paz esteja comigo.

Hipoglicemia
Desequilíbrio no sistema.
CURA: A aceitação do prazer equilibra o meu sistema.

Impotência
Pressão sexual, tensão, culpa; crenças sociais; rancor contra um antigo parceiro.
CURA: Eu permito que todo poder dos meus princípios sexuais opere com facilidade e prazer.

Inchaços (verrugas)
Auto-rejeição, medo, falta de amor.
CURA: Eu só adiciono amor em mim. Nada terá mais poder em mim.

Indigestão
Medo, ansiedade, pavor.
CURA: Eu recebo o novo e assimilo.

Infecções
Irritação, raiva, chateação.
CURA: Nada tem o poder de irritar-me. Eu sou pacífico e harmonioso.

Insanidade
Escapismo, recolhimento; violenta separação da vida.
CURA: Ressentimentos familiares.
Minha mente sabe sua verdadeira identidade e eu sou um ponto criativo da expressão divina.

Insônia
Tensão, culpa, medo.
CURA: Eu descanso do dia e mergulho num sono perfeito, pacífico.

Laringite
Medo de verbalizar opiniões; raiva. Ressentimento da autoridade.
CURA: Eu posso falar por mim. Eu me expresso livremente.

Mãos
A habilidade de segurar e deixar as idéias escaparem; medo de novas idéias
CURA: Eu lido com todas as idéias com amor e facilidade.

Mau hálito
Atitudes podres, pensamentos estúpidos.
CURA: Eu falo com amor. Eu expiro o que é bom.

Menopausa (PROBLEMAS COM)
Medo de não ser mais querido, auto-rejeição. Medo de envelhecimento.
CURA: Eu sou equilibrado em todos os ciclos da mudança, abençôo meu corpo com amor.

Nervos e nervosismo
Comunicação, luta, pressa; medo, ansiedade. Pensamentos confusos.
CURA: Eu estou na interminável jornada pela eternidade. Que a paz esteja conosco. Não existe nenhum lugar para o qual devamos nos apressar.

Olhos (problemas)
Não gostar do que vê em sua vida. Medo do futuro; não ver a verdade.
CURA: Eu vejo com olhos amorosos, eu vejo, a verdade, eu vejo claramente.

Ombros
Suportar carga, excesso de carga.
CURA: A vida é alegria e liberdade; tudo o que aceito é bom.

Ossos (problemas)
Rebelião contra a autoridade (os ossos são a estrutura do universo).
CURA: Eu estou em paz com a autoridade. Em meu mundo, sou minha própria autoridade.

Paralisia
Medo, escapismo, resistência, choque.
CURA: Eu sou uno com a vida. Eu bendigo minhas experiências.

Pele (problemas)
Sentir-se ameaçado na individualidade; falta de segurança, impaciência; assadura; maneira de ganhar atenção.
CURA: Eu aceito minha individualidade. Eu sou emocionalmente seguro.Eu ganho atenção de maneira positiva.

Pernas (problemas)
Medo do futuro (as pernas carregam você para frente).
CURA: Eu me movo com confiança e alegria.

Pés (problemas)
Medo do futuro
CURA: Eu paro na verdade. Vou adiante com prazer. Tenho compreensão espiritual.

Pescoço (problemas)
Inflexibilidade, recusa em ver outros lados da questão; teimosia.
CURA: Eu sou flexível. Aceito outros pontos de vista.

Pneumonia
Desespero; cansaço da vida, preocupações emocionais; distúrbios internos.
CURA: Eu recebo livremente idéias divinas, impregnadas com o hálito da vida.

Pressão sangüínea
ALTA: manter por longo tempo problemas insolúveis; BAIXA: depressão, mágoa, derrotismo, raiva.
CURA: ALTA: eu sou alegria e deixo o passado dissolver-se. BAIXA: eu vivo com mais alegria agora; a vida é alegria.

Prisão de ventre (intestinos)
Recusa de relaxar sobre velhas idéias; mesquinhez.
CURA: Eu relaxo o passado, generosamente permito que a vida flua através de mim.

Próstata (problemas)
Desistência, derrotismo sensualidade excessiva com sentimento de culpa; crença na velhice
CURA: Eu aceito minha masculinidade; eu sou eternamente poderoso. Sexo é prazer.

Psoríase (pele)
Insegurança emocional.
CURA: Eu sou pacífico e seguro. Eu estou em paz com tudo na vida.

Pulmões
Medo de receber e dar-se à vida.
CURA: A respiração flui através de mim.

Quadris (problemas)
Medo de ir avante em decisões importantes.
CURA: Sigo com alegria, amparado e sustentado pelo poder da vida.

Queimaduras
Raiva; queimar-se com os outros.
CURA: As pessoas não tem poder contra mim. Eu tenho paz no meu ambiente.

Raquitismo
Desequilíbrio emocional; falta de amor e segurança.
CURA: Eu sou seguro e nutrido pelo amor do Universo.

Resfriados
Confusão, desordem, pequenos machucados; família e crenças estereotipadas.
CURA: Eu sou livre-pensador; estou em paz com minha mente.

Retenção (líquidos)
O que é que você tem medo de perder?
CURA: Eu descanso com alegria, e espontaneidade.

Reumatismo
Falta de amor; ressentimento; amargura crônica; vingança.
CURA: Eu tenho compaixão com os outros e comigo. Eu aceito sentimentos prazerosamente.

Rins (problemas)
Crítica, sensibilidade, desapontamento.
CURA: Eu vejo somente o bom em tudo. Ações corretas sendo tomadas.Eu estou realizado.

Roer unhas
Separação dos pais, pedaço de si que se recalca.
CURA: Eu sou indivíduo criativo. Aceito, sou seguro em minha maturidade.

Sangue (problemas)
Falta de alegria; faltas de circulação das idéias; pensamentos estagnados.
CURA: Alegria. Com alegria as novas idéias circulam livremente.

Sinusite
Presença de pessoa que o irritam.
CURA: Ninguém tem o poder de me irritar a menos que eu permita. Paz e harmonia.

Surdez
O que você não quer escutar? Rejeição, teimosia, isolamento.
CURA: Eu escuto Deus. Eu escuto o prazer e a vida, sou parte dela.

Tórax (cisto)
Super dimensão de atitudes e propósitos na vida. Super proteção.
CURA: Eu sou livre e permito liberdade a todos.

Tosse
Nervosismo, amolação, crítica.
CURA: Me expresso pacificamente e falo com amor.

Tuberculose
Egoísmo; possessão; crueldade.
CURA: Eu não me sufoco na vida. Meus pensamentos desenvolvem ótimas idéias. Todos os momentos da vida são cheios de sentido.

Tumor
Crescimento falso; ferimentos e choques emocionais.
CURA:Descanso e perdão. O amor dissolve ferimentos.

Tumor no cérebro
Crenças incorretas computadas; teimosia; recusa em mudar os velhos padrões.
CURA: Tudo na vida é mudança. Meus padrões são sempre novos.

Úlceras
Algo se corrói em você; ansiedade, medo, tensão. Crença em pressões.
CURA: Nada pode irritar-me; sou pacífico, calmo e feliz.

Urinar na cama
Medo dos pais (normalmente do pai).
CURA: Amor, compreensão e compaixão.

Urticária
Pequenos medos escondidos; exagero de pequenos problemas.
CURA: Eu estou em paz com as pequenas coisas da vida.

Vaginite
Culpa sexual; sentimento de perda de alguém ou algo amado.
CURA: As formas e as vias podem mudar. O amor nunca se perde. Todas as partes do meu corpo são bonitas.

Varizes
Negatividade, resistência; remoer emoções; sustentar um trabalho que você odeia; circulação entravada, atulhada de idéias; desencorajamento.
CURA: Eu me movimento e vivo com prazer. Eu amo a vida e circulo livremente.

Vesícula (pedras na)
Amargura; pensamentos dolorosos que você não encontra meios de evitar.
CURA: Jubilosamente deixo o passado ir-se. A vida é boa. Eu sou bom.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Metafísica dos pés

Metafísica dos pés

O LIVRO “DIGA-ME ONDE DÓI E EU TE DIREI PORQUÊ: OS GRITOS DO CORPO SÃO AS MENSAGENS DAS EMOÇÕES”, EXPLICA O SENTIDO DE SENTIRMOS DORES E NOS MACHUCARMOS OU CRIARMOS DOENÇAS CRÔNICAS EM DETERMINADAS PARTES DO CORPO, FUNDAMENTADO NA SABEDORIA DA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA (MTC), QUE ENXERGA O INDIVIDUO COMO UM TODO, FORMADO POR CINCO ELEMENTOS (FOGO, MADEIRA, METAL, ÁGUA E TERRA), QUE POSSUEM UM CICLO DE DEGRADAÇÃO – ONDE UM ELEMENTO DESTRÓI O OUTRO – E UM CICLO DE CRIAÇÃO – ONDE UM ELEMENTO NUTRE O OUTRO.
QUANDO FALTA A ESCUTA ACURADA E ATENTA DA PROPRIOCEPÇÃO E DA INTUIÇÃO, QUE É A PROPRIOCEPÇÃO ESTABELECIDA, CULTIVADA E COORDENADA NO CORPO-EMOÇÃO-MENTE, RESTA AO CORPO DISPARAR O SINAL AMARELO – PEQUENOS TRAUMAS E “DOENCINHAS” – E DEPOIS O VERMELHO – GRANDES TRAUMAS, DOENÇAS GRAVES E/OU CRÔNICAS.
SEGUEM OS TRECHOS DO LIVRO:

O PÉ
É O NOSSO PONTO DE APOIO SOBRE O SOLO, A PARTE NA QUAL TODO O NOSSO CORPO REPOUSA E CONFIA QUANDO SE TRATA DE MUDANÇAS, DE MOVIMENTOS. É ELE QUE NOS PERMITE “CRESCER”, E, POR CONSEGUINTE, AVANÇAR, MAS PODE TAMBÉM, BLOQUEAR NOSSO SUPORTE, E POR CONSEGUINTE MANTER FIRMEMENTE AS NOSSAS POSIÇÕES. LOGO, O PÉ REPRESENTA O MUNDO DAS POSIÇÕES, A EXTREMIDADE MANIFESTADA DA NOSSA RELAÇÃO COM O MUNDO EXTERIOR. ELE SIMBOLIZA AS NOSSAS ATITUDES, AS NOSSAS POSIÇÕES DECLARADAS E RECONHECIDAS, O NOSSO PAPEL OFICIAL.
NÃO DEVEMOS COLOCAR O PÉ NA PORTA PARA BLOQUEÁ-LA. ELE REPRESENTA OS NOSSOS CRITÉRIOS QUANTO À VIDA, ATÉ MESMO NOSSOS IDEAIS. TRATA-SE DA CHAVE SIMBÓLICA DOS NOSSOS SUPORTES “RELACIONAIS”, O QUE EXPLICA A IMPORTÂNCIA DO RITUAL DE LAVAGEM DOS PÉS EM TODAS AS TRADIÇÕES. TAL COISA PURIFICAVA NOSSA RELAÇÃO COM O MUNDO, ATÉ MESMO COM O DIVINO. ENFIM, É UM SÍMBOLO DE LIBERDADE, POIS POSSIBILITA O MOVIMENTO.
ALIÁS, NÃO É POR ACASO QUE OS PÉS DAS MENINAS ERAM ENFAIXADOS NA CHINA. SOB O PRETEXTO DE UMA SIGNIFICAÇÃO ERÓTICA E ESTÉTICA, NA VERDADE ISSO PERMITIA QUE A MULHER FICASSE FECHADA, APRISIONADA NUM MUNDO RELACIONAL DE DEPENDÊNCIA DIANTE DO HOMEM, LIMITANDO SEU POTENCIAL DE MOBILIDADE.
O MESMO FENÔMENO EXISTE NAS NOSSAS SOCIEDADES OCIDENTAIS EM QUE AS MULHERES “DEVIAM” USAR SALTO AGULHA PARA CORRESPONDER A UM DETERMINADO ESQUEMA. COMO QUE POR ACASO, FOI POSSÍVEL CONSTATAR QUE A ALTURA DOS SALTOS DOS SAPATOS DIMINUÍA PROPORCIONALMENTE À “LIBERDADE” SUCESSIVA DAS MULHERES. HOJE EM DIA, MAIS E MAIS MULHERES, SOBRETUDO AS GERAÇÕES MAIS JOVENS, SÓ USAM SALTO BAIXO.

OS DEDOS DOS PÉS
REPRESENTAM AS TERMINAÇÕES “FINAS” DESSES PONTOS DE APOIO. ELES SÃO OS “DETALHES”, O “ACABAMENTO” DESSES PONTOS E, ASSIM, AS TERMINAÇÕES DAS NOSSAS POSIÇÕES, OS DETALHES DAS NOSSAS CRENÇAS OU AS PONTUAÇÕES DAS NOSSAS ATITUDES RELACIONAIS.
CADA DEDO REPRESENTA, POR SUA VEZ, UM DETALHE PARTICULAR, UM MODO OU UMA FASE ESPECÍFICA QUE DECODIFICAMOS, GRAÇAS AO MERIDIANO ENERGÉTICO QUE TERMINA OU COMEÇA NO DEDO EM QUESTÃO. ENQUANTO ELEMENTO PERIFÉRICO E DE ACABAMENTO DA RELAÇÃO, ELE PERMITE QUE O INDIVÍDUO SE SIRVA DELE COMO SE FOSSE UM MEIO DE ‘FEEDBACK’, DE RETROAÇÃO.
GRAÇAS A CADA UM DOS PÉS E AOS PONTOS ENERGÉTICOS QUE SE ENCONTRAM NAS EXTREMIDADES DELES, O INDIVÍDUO PODE ESTIMULAR OU ELIMINAR, CONSCIENTE OU INCONSCIENTE, PORÉM EFICAZMENTE, AS TENSÕES EVENTUAIS QUE ALI SE ENCONTREM.
ASSIM SENDO, OS DEDOS DOS PÉS SÃO, COMO OS DAS MÃOS, AO MESMO TEMPO OS LUGARES E OS MEIOS QUE FAVORECEM MÚLTIPLOS PEQUENOS ATOS “FALHOS” COTIDIANOS, QUE NOS PARECEM OCASIONAIS E SEM SIGNIFICAÇÃO.
PORÉM, NA REALIDADE, NUNCA É POR ACASO QUE QUEIMAMOS, ESMAGAMOS OU TORCEMOS TAL OU QUAL DEDO DO PÉ. TRATA-SE DE UM PROCESSO “LEVE”, PORÉM CLARO, DE UMA BUSCA DE EXPRESSÃO E/ OU ELIMINAÇÃO DE UMA TENSÃO RELACIONAL.
ESSE PROCESSO PODE EXISTIR PORQUE O PONTO ENERGÉTICO QUE SE ENCONTRA NA EXTREMIDADE DE CADA UM DOS DEDOS DOS PÉS SE CHAMA “PONTO FONTE” OU “PONTO DA PRIMAVERA”, É O PONTO DO RENASCIMENTO POTENCIAL DA ENERGIA, GRAÇAS À QUAL UMA NOVA DINÂMICA PODE APARECER OU ATRAVÉS DA QUAL A ANTIGA PODE SE “RECARREGAR” E MUDAR DE POLARIDADE.
OS MALES DOS DEDOS DOS PÉS
VOU FAZER AQUI UMA SIMPLES REPRESENTAÇÃO DA SIGNIFICAÇÃO GLOBAL DE CADA UM DOS DEDOS DOS PÉS E DOS SOFRIMENTOS QUE VÃO SER EXPRESSOS. PARA COMPREENDER MAIS DETALHADAMENTE TODA A DINÂMICA QUE ESTÁ POR TRÁS DISSO, BASTA SE REFERIR, NESTA OBRA, À PARTE QUE DIZ RESPEITO AO MERIDIANO ENERGÉTICO EXATO QUE ATINGE O DEDO EM QUESTÃO E AO QUAL ELE IMPRIME SUA DINÂMICA GERAL. SE A TENSÃO SE MANIFESTAR NUM DEDO DO PÉ DIREITO, ESTARÁ RELACIONADA À SIMBÓLICA YIN (MATERNA); NUM DEDO DO PÉ ESQUERDO, À SIMBÓLICA YANG (PATERNO).
O DEDO GRANDE DO PÉ (O “POLEGAR” DO PÉ)
É O ÚNICO DEDO DO PÉ EM QUE COMEÇAM DOIS MERIDIANOS ENERGÉTICOS: O DO BAÇO E PÂNCREAS E O DO FÍGADO. É O DEDO DE BASE DE NOSSO SUPORTE RELACIONAL, DO QUE NÓS SOMOS. É ISSO QUE, DURANTE A MENOPAUSA (PERDA DA FECUNDIDADE, LOGO, DO VALOR FEMININO) FREQUENTEMENTE TESTEMUNHAMOS O DESENVOLVIMENTO DE UMA DEFORMAÇÃO DESSE DEDO DO PÉ QUE SE CHAMA HALLUS VALGUS. OS TRAUMATISMOS OU AS TENSÕES NESSES DEDOS SIGNIFICAM QUE SENTIMOS UMA TENSÃO EQUIVALENTE NA NOSSA RELAÇÃO COM O MUNDO, SEJA NO PLANO MATERIAL (PARTE INTERNA DO PÉ) OU NO PLANO AFETIVO (PARTE EXTERNA DO PÉ).
O SEGUNDO DEDO DO PÉ (O “INDICADOR” DO PÉ)
É O DEDO EM QUE SE ENCONTRA O MERIDIANO DO ESTÔMAGO, OU SEJA, AQUELE QUE GERA A NOSSA RELAÇÃO COM A MATÉRIA, A NOSSA DIGESTÃO DESSA MATÉRIA. AS BOLHAS, OS JOANETES, MALES OU TRAUMATISMOS NESSE DEDO VÃO NOS FALAR DA NOSSA DIFICULDADE PARA GERAR CERTAS SITUAÇÕES MATERIAIS OU PROFISSIONAIS.
O TERCEIRO DEDO DO PÉ (O DEDO “MÉDIO” DO PÉ)
NÃO HÁ MERIDIANO ORGÂNICO NESSE DEDO DO PÉ, MAS ELE TEM UMA CERTA RELAÇÃO “INDIRETA” COM O TRIPLO AQUECEDOR. LOGO, É O DEDO DO PÉ CENTRAL, AQUELE DO EQUILÍBRIO E DA COERÊNCIA DAS NOSSAS ATITUDES RELACIONAIS. OS MALES DESSE DEDO SIGNIFICAM ENTÃO, QUE TEMOS DIFICULDADE PARA EQUILIBRAR AS NOSSAS RELAÇÕES, ESPECIALMENTE NO QUE DIZ RESPEITO AO FUTURO. O MEDO DE SEGUIR ADIANTE E DE UMA FORMA JUSTA, PODE SER EXPRESSO POR ESSE DEDO.
O QUARTO DEDO DO PÉ (O “ANULAR” DO PÉ)
É O DEDO DO PÉ EM QUE SE ENCONTRA O MERIDIANO DA VESÍCULA BILIAR. ELE REPRESENTA OS DETALHES DAS NOSSAS RELAÇÕES COM O MUNDO, NO SENTIDO DO JUSTO E DO INJUSTO, DA BUSCA PELA PERFEIÇÃO. A PRESENÇA DE TENSÕES, CAIMBRAS OU SOFRIMENTOS NESSE DEDO, SIGNIFICA QUE VIVEMOS UMA SITUAÇÃO RELACIONAL DIFÍCIL QUANTO AO QUE É JUSTO OU INJUSTO. TRATA-SE DE UMA RELAÇÃO QUE NÃO NOS SATISFAZ NO QUE DIZ RESPEITO ÀS CONDIÇÕES E À QUALIDADE DESSAS CONDIÇÕES.
O DEDO PEQUENO DO PÉ (O DEDO “MINIMO” DO PÉ)
O DEDO PEQUENO DO PÉ É O DEDO NO QUAL TERMINA O MERIDIANO DA BEXIGA. É O MERIDIANO DA ELIMINAÇÃO DOS LÍQUIDOS ORGÂNICOS E DAS “MEMÓRIAS ANTIGAS”. QUANDO BATEMOS COM ESSE DEDO, O QUE É EXTREMAMENTE DOLOROSO, PROCURAMOS ELIMINAR MEMÓRIAS ANTIGAS OU ESQUEMAS RELACIONAIS ANTIGOS. PROVAVELMENTE ESTAMOS TENTANDO MUDAR HÁBITOS ANTIGOS, MODOS DE RELAÇÃO COM O MUNDO E COM O OUTRO, QUE NÃO NOS SATISFAZEM MAIS. ATRAVÉS DO TRAUMATISMO E DO SOFRIMENTO (CORPO, FERIDA, ENTORSE, ETC.), ESTIMULAMOS NOSSAS ENERGIAS PARA FACILITAR ESSA ELIMINAÇÃO DOS MODOS ANTIGOS A FIM DE SUBSTITUÍ-LOS POR OUTROS.
(trechos do livro do Michel ODoul, “DIGA-ME ONDE DÓI E EU TE DIREI PORQUÊ: OS GRITOS DO CORPO SÃO AS MENSAGENS DAS EMOÇÕES”)

sábado, 7 de novembro de 2015

Quando a critica é sinal de infelicidade.


Quando somos felizes, temos a tendência a sermos mais compassivos, tolerantes, pacientes, vendo mais o lado positivo das coisas. Mesmo que as falhas e erros alheios sejam percebidos com clareza, não nos incomodamos. Apenas lidamos com isso rapidamente, resolvendo nossa parte e não perdemos tempo com lamentações ou mágoas.
Por isso, se uma pessoa passa grande parte de sua vida criticando os outros, mesmo que o que diga seja verdade e/ou sua intenção seja construtiva, este foco exagerado no que não está dando certo pode apenas esconder sua infelicidade pessoal. É como se ela dissesse para si mesma: “bem, já que não tenho o que desejo, vou apontar nos outros o quanto eles também não sabem o que estão fazendo de suas vidas.”
Não é a toa que costumamos dizer que pessoas que vivem resmungando são “mal-amadas”. A questão é que não falta a elas amor dos outros e sim, amor-próprio. Afinal, quem se ama e conhece seu valor não necessita da atenção alheia. Neste sentido, é mais correto dizer que estas pessoas estão sofrendo e não que são ruins ou gostam de praticar o mal.
Em última instância, semelhante atrai semelhante. Ou seja, como alguém triste, que vive se criticando, pode fazer outra coisa a não ser provocar infelicidade, falar dela e criticar as outras pessoas?
Portanto, não se engane com pessoas que parecem muito seguras de si, chegando inclusive ao afetamento. Se elas sentem necessidade de rebaixar é porque já se veem como inferiores. O melhor que você pode fazer é filtrar o que dizem extraindo o que é útil do que é tendencioso, agradecer e se afastar. Nunca se envolver, se chatear, tentar mudar esta pessoa, pois agressividade é o que ela espera. Tolerância, respeito e consideração, não.
Daí que o exemplo sempre influencia mais que as palavras, principalmente quado é autêntico e vem do coração.

Vanessa Mazza

A TPM é seu termômetro

O que está escondido no seu subconsciente geralmente ganha enorme força quando você passa por alguma crise na vida.
Isso acontece porque aquilo que você vem guardando, ou melhor, escondendo dos olhos dos outros e principalmente de você mesmo, vai se acumulando dentro de você, esperando apenas um momento de fragilidade para emergir com força total.
É assim no tempo da TPM para as mulheres, por exemplo. Todas as tensões, frustrações, “sapos engolidos”, pelos quais elas passam ao longo do mês e que suprimem, sem lhes dar vazão ou sem resolvê-los na hora, vão aparecer naquele momento em que o corpo está eliminando toxinas, em que os hormônios estão passando por uma transição, ou seja, no momento em que a defesa fica mais frouxa e então, a mulher não pode conter os acessos de raiva e nem de choro.
E, para piorar o quadro, aqueles que estão à sua volta não entendem que esta reação exagerada se deve a muitos e muitos sentimentos abafados e mal-resolvidos e têm, portanto, a tendência a ridicularizar a mulher pelo seu sentimentalismo. É preciso, portanto, que cada uma de nós, mulheres, perceba e meça a intensidade de nossas tensões pré-menstruais como uma forma de autoconhecimento. Além disso, é preciso que nossos companheiros, amigos e familiares se compadeçam de nós, nos auxiliando a desabafarmos todos esses sentimentos.
Afinal de contas, quanto mais intensa for a crise, significa que mais emoções, pensamentos e situações foram armazenadas no subconsciente. Por isso, quando estiver de TPM, não tente analisar o por quê dos seus sentimentos. Isso só gera desgaste em você e em quem convive com você. Apenas deixe fluir o choro e a raiva, sem nada fazer a respeito e informe que neste período você está apenas liberando uma energia represada. Quando tudo passar, fique atenta aos seus pensamentos e as suas posturas. Não se permita mais engolir frustrações ou ofensas, medos ou dúvidas, sem resolvê-los e sem tomar decisões no momento em que elas surgem. Assim, quanto mais resolutiva você for e mais desapegada de coisas, pessoas e opiniões, mais leve será sua TPM, chegando até mesmo, depois de algum tempo, a desaparecer.
Por isso, não veja mais a TPM como uma sina e sim como um termômetro.
Paralelamente a isso, você pode usufruir de mecanismos exteriores para aliviar sua tensão, tais como passeios agradáveis, comidas deliciosas, banhos relaxantes e companhias agradáveis.
Permita-se ser mais feliz, pois a dor só vem para lhe ensinar algo. Depois de aprendida a lição, ela perde o sentido e simplesmente desaparece.

Vanessa Mazza