Translate

Pesquisar este blog

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

REENCONTROS AMOROSOS







É o sonho de todas as pessoas viverem um lindo romance por toda a vida!

Mas isto é possível?
Sim, possível é, mas compreenda que o sucesso no amor depende de dois fatores:
  • Sentimento e
  • Maturidade de ambos.

O verdadeiro sentimento de amor, aquele que bate de imediato em seu coração, intensamente, é o reconhecimento de almas que já se “buscavam” intuitivamente, e que nutrem este amor por vidas. Amor verdadeiro é registro da alma e não há como não vir à tona a lembrança, ainda que apenas em sentimento, vida após vida. Mas nem mesmo toda esta aura de romance que envolve o reencontro das almas gêmeas impede o fim de um relacionamento quando não há maturidade emocional. Para que um relacionamento seja predominantemente composto por momentos felizes há um fator indispensável: segurança! E eu falo sobre autoconfiança, segurança adquirida em si mesmo, baseada no autoconhecimento de quem sabe o valor que possui e, principalmente, sente-se merecedor do amor sincero de alguém.
Então, prepare-se primeiro para conseguir “atrair” da vida, energeticamente, a pessoa ideal. É exatamente assim que funciona: você atrai novos relacionamentos de acordo com o seu grau de equilíbrio, auto-estima e de suas crenças, ou seja, é o seu padrão vibratório naquele período em que se envolve com alguém que determina este encontro. Se sua autoestima estiver baixa, você tende a atrair pessoas que pouco ou nada lhe doam, pois qualquer atenção dada pelo outro a você, neste momento, lhe parece muito e somente tempos depois você percebe o quanto era injusta a relação, e que não havia troca. Mas, neste caso, a sua doação excessiva não é sinal de um amor maior, como normalmente se pensa, mas sim do medo de perder!
Exatamente. Você não ama mais porque cuida mais. Não se engane. Você envolve a outra pessoa em cuidados, mimos e carinhos muito além do que recebe justamente quando você está inseguro sobre o valor que o outro lhe dá, e usa de um mecanismo para tentar provocar no outro o reconhecimento do seu valor, a gratidão ou a retribuição dos gestos. E quando isto não ocorre é comum se jogar culpas e cobranças sobre o outro. As críticas normalmente vão acentuando as diferenças ao invés de reduzi-las e a relação passa a ser um jogo, uma disputa de poder, de controle sobre as regras da relação e de constante julgamento. O amor já deixa de ser o foco principal da causa desta união e é comum a utilização de comportamentos de “presença-ausência”, ou seja, a pessoa se torna presente através do carinho, de um presente, ou de um cuidado especial, mas, se não é retribuída, logo em seguida pune o outro por condutas de ausência ou “greve”, tornando-se seco, frio, calado, ou ainda por pequenas vinganças.
E sentir-se injustiçado e alimentar raiva e mágoa do outro é tentar ignorar a sua própria responsabilidade em sua escolha ao manter-se nesta relação, seja por medo da solidão, por culpa pelo “fracasso” do namoro ou casamento, ou mesmo por orgulho em não aceitar que você possa ter feito um grande mal a si mesmo por longo tempo em sua vida.
Veja a situação por outro ângulo. Assumir esta responsabilidade pelo erro é também reconquistar seu próprio poder de escolha e trazer de volta ao seu íntimo aquela parte da sua individualidade que estava “penhorada” em troca de umas migalhas de atenção.
Se refaça!
Se reconstrua primeiramente e, assim, se torne capaz de atrair pra si um grande e verdadeiro amor de alguém que saiba reconhecer em você o seu imenso e verdadeiro amor por si mesmo!
E é esta segurança pessoal, do seu próprio valor e merecimento, que pode fazer acontecer este sonho de amor a dois. Pois, mesmo se você encontrar a pessoa ideal, mas estiver imaturo, inseguro, o desencontro pode ocorrer. E numa relação pura, de amor profundo, não há competição, não há acusações, não há julgamentos, apenas um amor infinito que se transforma dia a dia em gestos, palavras, ou em pura energia trocada entre ambos e que não se cobra ou se exige, mas se irradia como expressão de almas que vibram em imensa felicidade por se reencontrarem, por não mais se sentirem sós, mas conscientes de que o caminho evolutivo, apesar de se tornar mais leve por não trilhá-lo sozinho, só pode ser realizado individualmente.
Saiba que a sua alma gêmea, ou seja, aquela pessoa especial existe sim, mas que reencontrá-la exige mérito e preparo de ambas as partes.
E sonhar é como emitir um sinal para o Universo para que esta alma te reconheça, e venha ao seu encontro!
Portanto, sonhe seus sonhos de amor, recupere o seu romantismo que representa o seu modo doce, gentil, alegre, jovial e livre de conduzir sua própria vida e, ao reencontrar esta alma amada saberá repartir todos estes sentimentos puros que já existiam dentro de você!


Por Marcello Cotrim

3 comentários:

  1. Muito bom seu blog! Era o que eu precisar ler, principalmente esta matéria. Vejo que preciso melhorar e muito! Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. AMEI!!! Muito obrigada!
    O meu esforço para alcançar o caminho certo, vai necessitar de " limar muitas arestas",
    mas com certeza vou alcançá-lo. Com sabedoria, entendimento e maturidade, vou conseguir - porque
    QUERO, POSSO e SOU CAPAZ! Um forte abraço! :)

    ResponderExcluir