Translate

Pesquisar este blog

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

PNEUMONIA

CANSAÇO DA VIDA
IRRITAÇÃO POR TER SE DOADO MUITO AOS OUTROS SEM HAVER A TROCA


E um processo inflamatório, geralmente agudo, comprometendo os alvéolos, os bronquíolos e os espaços dos tecidos pulmonares. Pode ser originada por bactérias, vírus, fungos ou parasitas.

Nos adultos é mais freqüente a pneumonia bacteriana, causada pelo pneumococo. Nas crianças predomina a de origem viral.

A doença começa com uma infecção nos brônquios e nos alvéolos, afetando uma parte dos pulmões. Na pneumonia, o gás carbônico é eliminado adequadamente, mas o oxigênio diminui sua concentração no sangue.

A pneumonia reflete um estado interior de cansaço da vida, causado por ferimentos, decepções ou preocupações excessivas, que levam a pessoa ao desespero seguido de desânimo.

Metafisicamente, a pessoa fica vulnerável a contrair a pneumonia quando perde o prazer e o entusiasmo pela vida e se sente desanimada. A doença representa a somatização do estado de apatia, provocando no corpo a redução do oxigênio na corrente sanguínea.

O que leva alguém a desanimar-se tão profundamente a ponto de somatizar a pneumonia? Geralmente a desilusão com alguém muito importante em sua vida afetiva: um pai que se decepciona com o filho, decepção conjugal, etc.; ou, ainda, cansar-se de lutar em vão, sem conseguir resolver a situação. Problemas dessa ordem podem levá-lo a esgotar suas forças e perder a vontade de viver.

Vale lembrar que a desilusão é a visita da verdade. Toda vez que você se decepciona, é que estava iludido. Esperava tanto de alguém e se surpreendeu com o fato de que aquela pessoa não é como você imaginava que fosse.

Existe outro fator interno que é a principal agravante dessa perda de interesse pela vida: é o fato de você considerar ter feito tanto pelos outros e nada ter recebido em troca. O que provoca isso é a mania de ser prestativo e generoso. Enquanto você se incumbe de realizar quase todas as tarefas, os outros permanecem acomodados.
Desse modo, seu relacionamento com os familiares torna-se uma "via de mão única", vai e não volta, ou seja, você faz tudo por eles sem receber nada em troca. Essa postura gera profunda irritabilidade, chegando ao ponto de não suportar mais a situação, que no fundo você mesmo criou.

Isso pode acontecer até com uma criança. Na cabeça dela, tudo que precisa ser feito recai sobre si, ninguém faz nada em casa. Só porque ela vai à padaria ou desempenha alguma atividade em benefício do lar, pensa que só ela faz tudo e os outros não fazem nada. Enquanto a criança estiver encarando a situação dessa forma, se alguém lhe pedir algo, ela responderá: "Tudo eu!"

Isso demonstra sua irritação com as solicitações, porque ela está se sentindo explorada. Até esse momento, sua condição interna não seria suficiente para contrair a pneumonia, mas já é um passo. Caso venha a sofrer uma decepção qualquer, pode achar que fez demais e não foi reconhecida. Isso desanima e provoca a complicação emocional da doença.

Outro exemplo é de uma dona de casa que se desdobra para atender às necessidades da família. Ela chega ao ponto de pensar: "O que seria deles se não fosse eu aqui". Quando sofrer alguma decepção com um ente querido, poderá desenvolver o padrão metafísico da pneumonia.

Toda essa abordagem nos leva a compreender que, quando executamos alguma tarefa no lar ou no trabalho, devemos fazê-la com prazer, porque, além de nos beneficiarmos, estaremos também facilitando a vida de alguém que nos é querido, ou contribuindo em prol de um objetivo.

Não podemos nos empenhar visando apenas os resultados compensadores. Os conteúdos de toda experiência são sempre uma lição. Se os resultados forem bons, nos motivarão a seguir naquela direção; caso contrário, sinalizam que devemos mudar a postura e seguir para outra direção. Pode-se dizer que os bons ou maus resultados são uma espécie de sensor que norteia nosso fluxo pela vida.

Ter um senso de autovalor evita tornarmo-nos dependentes da consideração dos outros, pois isso nos leva a cometer exageros no empenho e dedicação a eles ou aos afazeres, acabando por provocar um grande desgaste e um profundo desânimo quando não nos sentirmos recompensados.

Metafísica da Saúde Vol.1

16 comentários:

  1. Voltei pra casa ontem, depois de 4 dias hospitalizada por conta de uma pneumonia. Identificação total com o texto. Grata.

    ResponderExcluir
  2. Voltei pra casa ontem, depois de 4 dias hospitalizada por conta de uma pneumonia. Identificação total com o texto. Grata.

    ResponderExcluir
  3. E uma criança de 2 anos? Minha filha já foi internada 2 vezes. Um mês e depois no outro.

    ResponderExcluir
  4. Nossa estou com broncopneumonia e tem tudo a ver, muita coisa fez sentido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como foi feito o diagnóstico de broncopneumonia? Rx, tomografia, biopsia?

      Excluir
  5. Eu tive com dois aninhos.Na vida afetiva dos meus pais na época existiam muitas brigas eu tinha apenas dois anos mais de alguna forma refletiu em mim.Respondendo sobre o caso da neném.

    ResponderExcluir
  6. Se tiver algo relacionado msm é um ótimo casamento pois em pesquisas se concluí que a maioria de pessoas portadoras de Hiv falecem de pneumonia ou seja o ato de se doar,de se decepcionar os fere profundamente que elevam o estágio se enfraquecendo e por fim morrendo.
    Digamos que tem uma certa lógica.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Faz sentido! Já tive duas pneumonias atípicas, ficando isolada em uma CTI, sem a menor estimativa de que fosse sobreviver pelos médicos. Concordo que a responsabilidade foi toda minha, por esperar algo em troca de minha doação, ou por estar em situações em que pensava em desistir. Devemos fazer sem nada esperar. E ninca desanima perante as situaçõe da vida. O amor mais importante é o nosso amor por nós, e sabermos amarmos cada qual como é, sem exigir ou esperar pois o amor é compreensivo! E desistir é algo que devemos bloquear de nossos pensamentos, pois a VIDA é bela sim e vale a pena viver! Cada dia, um n ovo aprendizado, cada dia algo inusitado a gradecer, esperamos o grande, mas o importante está sim, nos menores fatos.

    ResponderExcluir
  9. Agradeço a colocação, tendo tudo a ver com meu momento interior de busca pela verdade, desânimo pela vida em face do Ser Humano estar se demonstrando tão desumano. Estou com pneumonia e ela iniciou de uma tristeza profunda. Gratidão por ser consolada, por ter lido este texto e conseguido chorar por ser tão verdadeiro dentro do que estou sentindo no momento. Já faziam mais de 2 anos que eu não sabia o que era chorar...Gratidão!

    ResponderExcluir
  10. Ha muito tempo acredito nessas influencias agredindo a saúde.

    ResponderExcluir
  11. A resposta psicossomática deve ser levada em consideração. Somos um aglomerado de concreto e abstrato interagindo. Muito bom seu texto e é um ponto que gostaríamos de levar aos leitores de nosso website sobre pneumonia. Informar para mudar, melhorar. Parabéns!

    ResponderExcluir