Translate

Pesquisar este blog

domingo, 8 de junho de 2014

REUMATISMO NO SANGUE




É um sintoma de tristeza profunda causada por frustrações, por amarguras por falta de amor, por sentir-se a pessoa mais sofrida sobre a face da terra e pela impossibilidade de não conseguir reagir
alegremente, devido ao acúmulo de ressentimentos contínuos.

Se você está dentro dessa situação, saiba que você se sente dessa maneira porque desconhece outra forma de buscar amor.


Quem deseja ser querido, precisa querer bem a todas as pessoas e quem deseja amor precisa impregnar de amor o seu ambiente, para que todos sejam contagiados.

Se um dos filhos sofre de reumatismo no sangue, é quando um dos pais não se sente profundamente amado, mantendo essa tristeza em segredo, para não abalar o relacionamento com o cônjuge. É do tipo que se faz de vítima, denota insegurança e complexo de inferioridade.

A pessoa que tem reumatismo infeccioso acha que não têm o direito de pedir o que deseja, porque crê que não o merece ou simplesmente acha que as outras pessoas têm a obrigação de perceber suas próprias necessidades afetivas.

Fale o que quer ou o que está sentindo em relação a tudo. Você tem o direito e o dever de anunciar o que é necessário para preservar  ou construir um bom relacionamento, tanto amoroso, quanto profissional.
Busque compreender porque certos acontecimentos ocorrem com você e veja se não foram causados pelo seu silêncio ou pelas más interpretações. Se não foram, procure na ”caixinha” do passado e encontre guardada lá dentro uma parcela dos medos provocados pela repressão de um dos seus pais. 

Assuma neste mundo o papel de uma pessoa que tem clareza e determinação de expressão. Habitue-se a dialogar e a colocar em sua mente a frase: eu existo. Impeça que as acusações contra você transformem seu coração em um poço de culpas.

Deseje ser feliz e alegre em todos os lugares onde for e com certeza a vida lhe responderá com saúde e muitas pessoas sinceras solicitarão a sua presença, porque amam você de verdade. 

Cristina Cairo - Linguagem do Corpo

Nenhum comentário:

Postar um comentário