Translate

Pesquisar este blog

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Se não quiser adoecer - "Fale de seus sentimentos"

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças
como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna.. Com o tempo a
repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então vamos desabafar,
confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados.
O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia..

Se não quiser adoecer - "Tome decisão"

A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A
indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é
feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder
vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de
doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.

Se não quiser adoecer - "Busque soluções"

Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas.
Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o
fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de
mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia
negativa que se transforma em doença.

Se não quiser adoecer - "Não viva de aparências"

Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão que
está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc., está acumulando
toneladas de peso... uma estátua de bronze, mas com pés de barro.
Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com
muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.

Se não quiser adoecer - "Aceite-se"

A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos
algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os
que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos,
destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é
sabedoria, bom senso e terapia.

Se não quiser adoecer - "Confie"

Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria
liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não
há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em
Deus.

Se não quiser adoecer - "Não viva SEMPRE triste!"

O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida
longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive.

"O bom humor nos salva das mãos do doutor". Alegria é saúde e terapia.
Dr. Dráuzio Varela

DEPRESSÃO







A depressão é um dos distúrbios mais antigos que afetam a humanidade. Existiam várias denominações para os estados depressivos. A partir dos estudos psicanalíticos de S. Freud - que a conceituou como consequência da perda de objeto - e da descoberta dos antidepressivos, ela é considerada hoje, uma doença que afeta, estimadamente, de 5% a 10% da população em geral.

Dentre os quadros típicos de depressão, a melancolia é uma das manifestações mais comuns. Trata-se de um sentimento de tristeza que varia de uma indiferença ou abatimento, até um estado de profundo desespero e completa perda da esperança. Geralmente, ocorre após significativas perdas materiais ou profundos abalos afetivos. Ela tanto pode figurar na esfera psicoemocional, quanto manifestar-se no corpo, alterando o padrão químico do organismo.





Os principais sintomas emocionais são: culpa, desespero, auto depreciação, visão pessimista da existência, desânimo, indiferença, falta de esperança, dificuldade de concentração, pensamentos de morte etc. Não raro, as pessoas deprimidas sentem-se rejeitadas, inadequadas e carentes. As manifestações físicas mais frequentes são: insônia, fadiga (cansaço), apatia, perda ou excesso de apetite, variação de peso, diminuição da libido etc. Outra característica do depressivo é a variação da postura corporal: cabeça inclinada para baixo, olhar fixo e semblante desolado. Esses sintomas, tanto os físicos quanto os emocionais, podem variar de uma pessoa para outra.

Durante a depressão, a vida não tem sabor. A pessoa cinde com a realidade e com o próprio corpo. Ela deixa de contemplar os movimentos existenciais e descuida do físico. Perde o seu foco, sente-se desorientada e sem estímulo para mobilizar sua energia. Içar algo que resgate o seu encanto e desperte a paixão de viver passa a ser imprescindível para que saia desse torpor.

Na depressão, não há culpados nem vilões, apenas vítimas. Não se pode atribuir como única causa da depressão as ocorrências desastrosas da realidade, mas sim, o agravamento do sofrimento moral. A própria pessoa aumenta a proporção dos acontecimentos e mergulha num profundo sentimento de angústia.



O maior desencadeador dos processos depressivos é a maneira como a pessoa elabora suas decepções. Ela não preserva sua consistência emocional, ao lidar com os abalos existenciais. Em vez de assumir sua força, entrega-se às fraquezas, causadas pelas sucessivas ocorrências ruins de sua trajetória de vida. Arrasta-se a uma espécie de "poço" de profunda tristeza e abandono.




Para sair da depressão, a pessoa precisa resgatar sua força interior, trazer à tona o seu dinamismo, sua ousadia e manifestar seu espírito aventureiro e conquistador. Essa força típica dos deprimidos faz com que se levantem das profundezas da depressão e redimensionem a existência e o universo interior. Ao se deprimir, esse potencial fica sufocado. Quando ativas, são pessoas firmes e determinadas, que realizam com precisão várias tarefas, destacando-se pela criatividade e intensidade de atuação. 

Para não entrar em depressão ou mesmo para sair dela, existem alguns fatores emocionais e existenciais que devem ser conquistados. Dentre eles, destacam-se: resgatar o autovalor e elevar a autoestima, assumir tarefas, resgatar os laços afetivos e viver um grande amor. Sobretudo, não se desconectar dos potenciais inerentes ao ser; não permitir que os dramas exteriores invadam o mundo interno, nem que perturbem a condição emocional, tampouco, que sufoquem o brilho da alma.



 Valcapelli 












quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

ANSIEDADE

A CURA DA ANSIEDADE


Você é uma pessoa ansiosa? Acha que sim? Sempre aflito para cumprir suas obrigações, faz tudo depressa como se não fosse dar tempo e anda sempre correndo? Você é daqueles que não suporta esperar mais que 10 segundos pra ver um vídeo na internet que está ‘baixando’ sem sentir irritação? A espera por um telefonema importante é angustiante, por um encontro,uma festa, uma entrevista de emprego, o retorno ao médico ou, até mesmo, a espera pelo fim de um dia difícil, te levam a sintomas típicos como taquicardia, respiração acelerada e tensão?! Estes são sintomas relacionados ao estado de alerta que acontece quando precisamos lidar com situações de estresse. 

Bem, se você se encaixou neste perfil, posso lhe afirmar: você não é ansioso! Você apenas está ansioso, pois a ansiedade não é um traço da personalidade nata e sim um transtorno, uma síndrome, um estado psicológico doentio. 

Ansiedade não faz parte do SER e sim do ESTAR. É um erro os pais dizerem aos seus filhos pequenos coisas do tipo ‘este menino é muito ansioso’, ou ‘deixe de ser tão ansioso’, porque acabam por condicionar esta criança a achar que aquele modo de se comportar é um “defeito” da personalidade, quando, na realidade, é apenas um estado emocional em desequilíbrio decorrente de exemplos, condicionamentos, ambiente e estilo de vida, e que exige tratamento, mas não algo a ser visto como uma característica de personalidade. 

Então, o que é a ansiedade? É medo! Medo do futuro, do amanhã, de não saber lidar com o novo, medo de fracassar! É o medo do imprevisível, do não controlável, exatamente por não possuir, ainda, autoestima calcada no autoconhecimento profundo, que permitiria a você não mais buscar se sustentar no externo, mas sim em si mesmo, nos valores internos, de quem se conhece e por isto aprendeu a se amar! 

Ansiedade é um transtorno e tem cura! E a cura começa na capacidade de se sustentar em si mesmo! A única forma de reduzir e, até mesmo, eliminar o medo do futuro, o medo da crítica e o medo da perda, é conhecer sua capacidade de lidar com situações difíceis, estudando sua personalidade e se valorizando em seus potenciais, assim você passa a ter fé em si mesmo, saber do seu valor, apostar em sua capacidade de se superar e ser vitorioso nos desafios da vida, e não se deixar mais pressionar pelo externo, estabelecendo seu espaço na vida e sabendo se auto respeitar em suas opiniões. 

A própria palavra ansiedade tem origem no Latim ‘anguere’, que significa apertar, estreitar, ou seja, não permita que os outros ‘estreitem’ seus caminhos e te pressionem a se adequar aos interesses alheios! Ganhe seu espaço, conquiste seu mundo exterior ao revelar o brilho de sua essência! Alargue seus caminhos e descubra novos mundos! Seja livre e espaçoso, no bom sentido, e nunca mais abra mão do seu direito de deixar sua marca neste mundo, contribuindo com o seu melhor, mas permita-se errar e acertar como etapas indispensáveis de um aprendizado!

Marcello Cotrim

AVC (ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL)

ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL (AVC) 
Sentir-se impossibilitado ou perdido na execução das atividades. 



Também conhecido como derrame cerebral, o AVC é uma doença séria que pode causar sequelas irreversíveis se a pessoa não for atendida rapidamente. 
 O acidente vascular cerebral é uma das principais causas de morte no mundo. As pessoas não percebem que estão tendo um derrame, por esse motivo não procuram o médico Ele é caracterizado pela lesão em um dos vasos sanguíneo que irrigam a região cerebral. 
Pode ser isquêmico ou hemorrágico.

 A maior parte dos derrames são isquêmicos, o vaso sanguíneo é obstruído por um coágulo que bloqueia a passagem de sangue e oxigênio para uma área do cérebro. Esse processo também é chamado de isquemia cerebral. 

 O AVC hemorrágico costuma ser letal. Ocorre quando a parede de uma artéria que irriga o cérebro é lesionada, provocando um sangramento numa área cerebral, formando um hematoma, que, mesmo em pequenas proporções, pode ter consequências drásticas à saúde e até mesmo por fim à vida. 

 O AVC, em geral, deixa sequelas que são mais ou menos graves, dependendo da área do cérebro afetada e do tempo que levou para a pessoa receber atendimento médico. 

 Na metafísica, o AVC é uma consequência da falta de habilidade da pessoa para lidar com o seu fluxo pela vida, principalmente diante das situações de poder. Quando ela tem de coordenar o desenvolvimento dos fatos existenciais e depara com sérios obstáculos, não consegue administrar com maestria a desenvoltura de suas ações. 

 Os obstáculos na verdade são decorrentes da limitação da própria pessoa, que impõe a si mesma uma responsabilidade excessiva, desrespeitando sua natureza interna. Por esse motivo, se vê cercada de problemas, tornando praticamente impossível alcançar seus objetivos. 

 Para superar os bloqueios e as limitações, a pessoa deve aceitar suas restrições, empenhar-se nas tarefas, dando o melhor de si, mas sem cobrar o impossível. Ter firmeza naquilo que faz, mas não ser rude para consigo mesma. Diminuir o drama, deixando de se queixar da sobrecarga de atividades. Adotar uma relativa naturalidade, que promove a leveza e boa fluidez dos acontecimentos. 

Resumo: Metafísica da Saúde Vol 4



TPM

Tensão pré- menstrual 



Tanto a TPM como a menopausa fazem parte de um mesmo  processo psicológico. 

"Por que as mulheres são tão esquisitas e confusas?", indaga, frustrada e irritada, a maioria dos homens. E concluem: "Às vezes mostram-se tão recatadas, sedutoras, cheias de graça e, de repente, tornam-se irritadiças, agressivas, chatas, ciumentas, briguentas, inseguras, quando não, distraídas e ausentes. Positivamente, as mulheres são bichos estranhos e inconstantes!" É essa a imagem que os homens fazem de nós, mulheres, por desconhecermos os nossos próprios botões de controle emocional. As informações médicas que nos bombardeiam, negativamente, fortalecem a crença de que somos movidas a hormônios e que nada podemos fazer se não for à base de tratamento médico ou de psicoterapia. 

Realmente, a poucos dias do período menstrual o cérebro da mulher transforma-se física e psicologicamente em função das alterações hormonais. O comportamento difere de mulher para mulher. 
Algumas sentem-se mal, ficam deprimidas, tristes, ansiosas, preocupadas, distantes socialmente. Outras mostram-se agressivas, possessivas, controladoras e negativas. E, como num passe de mágica, apenas uma semana após o início do ciclo menstrual, tudo volta à normalidade: a mulher recupera seu equilíbrio emocional, "junta os cacos" e passa a avaliar o resultado de sua agressividade quando gerou profundas mágoas e conflitos no coração de seu companheiro ou de outras pessoas. 
É como se fora possuída por uma força maior, cegando-a e controlando-a em suas atitudes e pensamentos. 

Deve-se esse comportamento imprevisível (ou previsível) à nossa forte tendência em acreditar que tudo que vemos, ouvimos ou sentimos durante essa fase é a realidade, isto é, que tem de ser assim. O pior é que, involuntariamente, exageramos nas emoções. Mesmo que queiram nos ajudar para que mudemos os nossos pensamentos, entendemos que estão, na verdade, procurando nos enganar e passamos a atacá-los para defender nossa verdade. 


Desperte para o seguinte fato: o inimigo não está do lado de fora, mas dentro de nós, em nosso próprio sangue. Querida amiga, saiba que hormônio, em latim, significa humor, e que os hormônios podem alterar nosso humor e vice-versa. Essa oscilação de humores nos leva a perder de vista a saída e o autocontrole necessários para o nosso próprio equilíbrio. O inconsciente recebe cargas emocionais que se alternam entre as mais sutis, às mais marcantes, e reage exatamente como um espelho: reflete em nosso corpo, tanto interna quanto externamente, tudo que foi guardado em termos de emoções. Cedo ou tarde ele acaba nos devolvendo, através de atitudes, palavras e pensamentos, aqueles sentimentos reprimidos no passado ou no presente. 
Eu costumo, em minhas palestras, comparar o alcoólatra às mulheres. Calma, eu explico! 

O ébrio tem seu estado de consciência alterado, ou melhor, anestesiado, o que permite ao inconsciente colocar para fora o que ele, realmente, sente e pensa da vida (em tese, o que ele tem reprimido): tristeza, mágoas, frustrações e outros sentimentos de culpa, oriundos de sua infância, ou já na fase adulta, coisas que ele não pode e não consegue manifestar quando sóbrio. 

Na verdade, o alcoólatra só consegue ser ele mesmo quando bebe, porque não tem elaborado em sua consciência o autoconhecimento, a chave para desviá-lo das opressões externas", muitas vezes geradas por suas próprias alucinações. Da mesma forma, a mulher na TPM, por analogia, é como se estivesse embriagada, não sob o efeito do álcool, obviamente, mas pelos hormônios que, igualmente, reprimem sua consciência e liberam seu inconsciente. 
Nunca agem do nada, mas sofrem uma complexa e estranha combinação de crendices, frustrações e mágoas, empurradas para dentro de si mesmas ao longo dos anos e esquecidas, conscientemente, por não saberem como lidar com esses sentimentos que acabam aflorando durante a fase pré-menstrual. Como não reconhece essas emoções, a mulher acredita que está apenas desequilibrada em conseqüência do ciclo. Saiba que a menstruação em si, além da limpeza uterina, processa também a limpeza de um subconsciente carregado. A dádiva de poder ser feliz através da menstruação deve ser compreendida por todas as mulheres para que se tornem aliadas dos hormônios e não suas escravas. 

O ciclo menstrual deve ser visto como uma rara oportunidade de conhecermos o lixo que guardamos no subconsciente e assim podermos trabalhá-lo dentro de nossas mentes, produzindo o perdão, o desapego, e sentirmos o poder da criatividade que possuímos. 
Como mulher, garanto: todas as vezes que você sentir raiva ou tristeza durante o ciclo, reflita e pergunte para si mesma - o que preciso compreender ou soltar? Com certeza seu coração lhe dirá e você se acalmará, pois estará solucionando algo interno, mal resolvido, com seu parceiro ou alguém da família. Com essa atitude sensata você descobrirá que os hormônios são apenas exércitos comandados pelo seu subconsciente e terá a oportunidade de perceber-se e esforçar-se para perdoar acontecimentos antigos, soltar pessoas, deixando-as viver como querem. Vai aprender, também, que o verdadeiro amor não é dono de nada e de ninguém, mas deixa fluir a vida como as águas da fonte. 

Com esse processo de liberdade da alma, as futuras menstruações e a menopausa vão aproximar-se sem traumas ou guerras internas e você, mulher, vai sentir-se cada vez mais grata e feminina quando o ciclo chegar ou quando chegar a hora de cessar. 
Quanto mais soltarmos nossos apegos e deixarmos de controlar pessoas e coisas, mais entenderemos que ninguém pode nos fazer mal. Desde que não vejamos o fato como mal, então estaremos livres de doenças, infortúnios e, principalmente, da incômoda TPM. 
Na minha opinião, esse ciclo deveria chamar-se LPMS (limpeza pré-menstrual do subconsciente) ou PPM (purificação pré-menstrual). 

A psicologia explica: quando repudiamos algo é porque as identificamos, de alguma forma, com a coisa repelida. A negação é um mecanismo de defesa contra a verdade que dói. Por isso, muitas 
mulheres abominam a época de sua menstruação. Para elas é realmente difícil fazer mudanças internas de libertação de pessoas, acontecimentos e coisas. Contudo a TPM sempre ocorrerá com mulheres de temperamento difícil, rebeldes e teimosas, porque são essas que possuem maior resistência em soltar algo ou alguém. 

Quanto mais a mulher compreender que a TPM é sinônimo de temperamento difícil e que os hormônios apenas indicam a dureza de seu caráter, tanto mais ela sentirá que não precisa sofrer ou provocar perturbações em pessoas à sua volta se passar a ser mais flexível e amorosa para com os outros e para consigo mesma fora do período menstrual.

A mulher, por natureza, possui o privilégio de um ciclo que lhe traz às suas mãos todo o mal de seu coração para ser resolvido. Todo mês, por muitos anos ,de sua vida, ela terá a oportunidade de se encontrar consigo mesma e corrigir sua linha comportamental, para, assim, libertar-se de doenças e infelicidade. Pela TPM a mulher deve descobrir que seu lado yin (feminino) está comprometido pelo excesso de seu comportamento yang (masculino). Normalmente, a mulher yang é empresária, sócia majoritária, pioneira em algum empreendimento, dona de casa que assume a posição do marido na educação das crianças ou na administração das finanças, ou que carrega no peito o desejo de nunca perder numa concorrência ou competição, seja ela qual for. Essa mulher, por sentir que seu futuro depende do próprio esforço, rejeita a idéia da dependência emocional e financeira, e esquece de ser mulher yin: quase não veste saias ou vestidos, evita ser dengosa, bate de frente com os oponentes, ri pouco ou com histeria, não se sente sensual quando é caçada pois necessita ser caçadora, perdoa com dificuldade os erros e fraquezas alheias, não sabe perder sem conflitos. 

Essa mulher não se recupera alegremente, perdendo assim a força da 
fênix, ave que, segundo a mitologia grega, ressurgia mais bela das cinzas após ser queimada. 
Perde então a beleza natural em seu ser, fazendo com que seu subconsciente dirija mal a progesterona (hormônio feminino) e lhe cause desconforto. 

Se mudar seu comportamento, os próprios hormônios agirão a seu favor, trazendo-lhe uma sensação de paz e graça nunca sentidas antes por uma mulher yang. É gratificante saber que todo mal-estar da TPM significa, apenas, situações mal resolvidas no coração, que aparecem em forma de irritação, choro, agressividade e constantes desabafos aparentemente inexplicáveis aos olhos de quem assiste. 
Cabe à mulher buscar formas de ajuda para aprender a reconhecer seus verdadeiros sentimentos e permitir-se viver livre de suas próprias cobranças. 

Querida leitora, deseje do fundo de sua alma encontrar dentro de si mesma o mal que a aflige e tenha coragem de libertar-se dessas emoções mascaradas. Diga sempre o que pensa e sente, aprenda, a cada dia, a soltar os acontecimentos e compreenda de uma vez que tudo e todos que nos rodeiam fazem parte da vibração em que teimamos em permanecer. É importante sempre ter em mente que os semelhantes se atraem, por isso não acuse mais ninguém pelas suas mágoas e ressentimentos. Enxergue no outro a sua parcela de erros e veja que os problemas, sejam eles quais forem, também foram gerados por você, por incrível que pareça. 

Sei que é difícil acreditar nisso, mas a verdade é que quando guardamos desde criança, sem perceber, mágoas contra nosso pai ou mãe, acabamos transferindo para outros seres, inconscientemente, situações mal resolvidas, como se pudéssemos, com isso brigar com nossos pais e sermos compreendidas. 
Acredite e experimente viver de forma mais suave. Continue sendo uma guerreira e lutando pelos seus ideais, mas saiba encontrar o equilíbrio e perceber o exagero de alguns sentimentos e pensamentos durante a TPM e controle-se, conscientemente, até que possa elaborar em sua mente a compreensão de si mesma e parar de transferir coisas que são somente suas. A tensão pré-menstrual ocorre toda vez que a mulher não percebe que está perante seu lado "fera ferida" e que precisa parar de resistir às mudanças de seu próprio caráter. Enxergar seus próprios erros não é uma tarefa fácil e renunciar a eles é mais difícil ainda. Portanto, procure a ajuda através de um trabalho alternativo, de uma terapia comportamental cognitiva ou leia livros de autoconhecimento para, finalmente, despertar desse pesadelo e entender que não existiria a tal tensão pré-menstrual se as mulheres se decidissem com mais rapidez, ou seja, parassem de guardar em seu subconsciente tantos ressentimentos, frustrações, mágoas, desapontamentos e sentimentos de perda. 

Seja madura e sábia e reconheça que toda postura de vítima lhe trará mais frustrações e decepções. Vá à luta, mas desarmada! 
Entregue-se, confiante, nos braços do Deus de seu coração e acredite que nada irá lhe faltar ou machucá-la se seus pensamentos, palavras e atitudes estiverem ao alcance Dele. Acredite nessa força e pare de segurar quem ou o que estiver controlando ou zelando demais. Deixe a vida fluir e veja como o cenário se transformará rapidamente em seu ambiente e em seu corpo. Mas, acima de tudo, seja humana e não use seu período menstrual para descarregar seus fardos sobre os ombros de outras pessoas, alegando que estava sob o efeito da droga" TPM. Você pode aprender a controlar-se, e mais que isso, acabar de uma vez com seus sofrimentos armazenados. 

Cristina Cairo - Linguagem do Corpo 2 - Beleza e Saúde.

COMO O CORPO SE COMUNICA

O formato do seu corpo revela sua personalidade

O formato do corpo revela características e traços de personalidade, identificando como cada um lida com suas emoções. O tamanho dos quadris, glúteos, ombros, peito e mamas, abdome, panturrilha, a papeira, além da flacidez, gordura localizada, culotes, entre outros problemas estéticos, demonstram como está o interior do ser humano e seus conflitos mais íntimos (veja relação abaixo). O exterior reflete o interior. 

Este estudo, apresentado no livro LINGUAGEM DO CORPO 2 – Beleza e Saúde, demonstra que o corpo se modifica em tamanho, largura, espessura, altura e silhueta, tanto em músculos e células, quanto em ossos e articulações, no todo ou em parte, conforme o estado emocional, mental e comportamental do indivíduo, com ou sem exercícios. 


Abdome - gordura -> O ventre está localizado no centro de equilíbrio de nosso corpo, onde estão os órgãos geradores e controladores da eliminação das toxinas: intestinos, bexiga e útero. O abdome simboliza o equilíbrio e a harmonia. Se há descontentamento, críticas ou revolta contra alguém ou alguma situação, acabam surgindo gordura e doenças nesse local. Toda mente rebelde e teimosa, aparentemente passiva ao extremo, que não acolhe com gratidão as pessoas e as coisas e não liberta a vida, provoca o desequilíbrio estético na região abdominal. 

Braço - gordura -> Braços simbolizam suas conquistas, suas ambições, seus afetos, a busca do amor e do trabalho realizador. Problemas nesta área simbolizam frustração em relação às ambições, realizações e conquistas, limitadas por alguém ou alguma situação/ raiva por não ter conquistado algo ou alguém, ou de não estar se realizando em algum trabalho. 

Cintura -> Os pneus nesta área denunciam pessoas de comportamento negligente, relapsas no sentido psíquico e espiritual, que não encontram equilíbrio nas suas emoções agindo, muitas vezes, com agressividade ou prepotência para protegerem sua individualidade. Simbolizam também o excesso de contrariedade que você acumula e de que não se desapega. 

Culote - gordura -> Simbolizam o pai e todo relacionamento amoroso e quando ocorrem conflitos, mágoas, ressentimentos, aparecem os culotes. 

Glúteos -> Os músculos dos glúteos representam o poder de tomar as próprias decisões, de ter coragem e determinação para caminhar com as próprias pernas sem depender emocional e financeiramente de ninguém. Nádegas murchas ou caídas simbolizam o medo inconsciente da solidão e de perder o controle, demonstrando o quanto se está vivendo sob a influência de terceiros, muitas vezes abrindo mão de seus prazeres pessoais. Nádegas grandes demonstram poder de decisão, pessoas que sentem mais os prazeres físicos, não aceitam ser comandadas nem controladas, gostam de mandar, muitas vezes são autoritárias. 

Lado direito do corpo -> conflito com mulheres (YIN) 

Lado esquerdo do corpo -> conflito com homens (YANG) 

Obesidade/gordura localizada -> forma inconsciente de proteção contra problemas externos, um casulo no qual se esconde os medos, aborrecimentos, perdas, raivas, mágoas e inseguranças. É o mecanismo de defesa que o inconsciente cria para proteger-se daquilo com que o consciente não sabe lidar. A gordura localizada, dependendo de que região está, tem um significado específico (veja outros itens nessa relação de problemas estéticos).

Panturrilha -> a perna simboliza a impulsão para o futuro e é o músculo da panturrilha (gastrocnêmio) que impulsiona a coxa e, consequentemente, o corpo para a frente. Panturrilha fina indica que a pessoa não tem impulsão própria para seus ideais, falta-lhe determinação e coragem para, sozinha, ir em busca de seus sonhos. Panturrilhas tonificadas simbolizam pessoa ativa, autoconfiante, dona de suas próprias opiniões e desejos. 

Papeira debaixo do queixo -> pessoas que odeiam críticas e sentem-se carentes e agressivas quando lhe apontam algum defeito. Quanto mais reagem às críticas, mais sua papeira aumenta. 

Peito e mamas (flacidez)-> Toda flacidez simboliza a falta de iniciativa e força de vontade para vencer. O peitoral e as mamas expressam a coragem, a ousadia, a força interior. Se há gordura localizada nos músculos peitorais e flacidez nas mamas, isso significa que a pessoa está guardando ressentimentos e que desistiu de lutar pelos seus objetivos, por sentir-se oprimida ou por acreditar que não pode mudar o destino. 

Mamas (tamanho)-> Quando as mamas são pequenas, isso denota uma mulher Yang, ou seja, que não admite autoridade sobre ela e que repudia a idéia de ficar presa ou ser comandada por alguém ou alguma situação. Quando as mamas são grandes, a mulher é Yin, ou seja, tem tendência a anular-se devido a um instinto maternal exagerado. 

Quadris e ombros -> Quadris largos simbolizam princípio feminino predominante, ou seja, são pessoas sensíveis, que se magoam com facilidade, porém revelam-se ótimas para cuidar do lar e dos filhos. Ombros largos representam coragem para enfrentar as adversidades da vida. Ombros estreitos indicam ausência de ousadia e coragem, geralmente pessoas que se colocam em posição de vítimas, acusando outras pessoas pelos seus fracassos na vida. 

Fonte: livro LINGUAGEM DO CORPO 2 (de Cristina Cairo) 

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

CELULITES



Você guarda em seu corpo todos os detalhes da sua vida: mágoas, ressentimentos, raiva dos outros e si mesma, nervosismo com determinadas pessoas e a tensão de estar sendo bloqueada em sua liberdade. 
Saiba que, inconscientemente, você está se punindo por não estar conseguindo ser a mulher que deseja ser.
Esqueça tristezas do passado, pois ninguém é culpado pelas suas limitações e desgostos.. 
Pare de olhar a vida sob esse ângulo. Você está vendo tudo deformado. 
Você pode ser e ter tudo aquilo que quer, é só uma questão de saber organizar seus pensamentos e discernir, de coração, os pensamentos dos seres - pai, mãe, marido, sogros, patrão e todos que de alguma forma exercem autoridade sobre você. 
Reter pensamentos e sentimentos velhos e desagradáveis intoxica as células do corpo, que simbolizam o início da vida. Esta deve fluir livre para que possa se renovar. 


Tratamentos estéticos não resolverão os seus problemas de relacionamentos. A ciência médica explica que celulite não é gordura. É inflamação das células, causada pelo excesso de substâncias nocivas que se acumulam pela retenção de água, sais, gordura e toxinas que se instalam no tecido conjuntivo e formam uma espécie de gelatina, destruindo ou deformando as próprias células; mas isso é apenas somatização. 

Os esteticistas e os médicos dizem que a celulite é hereditária. Contudo eles também sabem que a celulite pode desaparecer e voltar repentinamente, conforme o estado emocional da mulher. 

Quando a mulher está prestes a menstruar, ou mesmo durante a menstruação, a celulite torna-se mais visível, devido aos hormônios que são ativados naquele período. Muitas mulheres tornam-se então mais sensíveis: o nervosismo, a impaciência e as tristeza ficam evidentes em sua personalidade e muitas choram à toa. 

Toda emoção exagerada conturba o organismo e causa um desequilíbrio nas funções seletivas, provocando um acúmulo de substâncias nocivas em várias partes do corpo. 

Diariamente os pesquisadores tentam desenvolver métodos de tratamento para acabar com a celulite e, devido a isto, surgem constantemente polêmicas quando o assunto vem à tona. 

Também os psicólogos estudam com afinco o significado emocional no dia-a-dia das pessoas e eles sabem que é importante trabalhar o autoconhecimento para combater as falsas defesas que criamos através do nervosismo. 


A celulite surge como manifestação das emoções de raiva e autopunição, então, para eliminá-la, devemos corrigir nosso modo de agir frente aos obstáculos que encontramos pelo caminho. 

Se você está fazendo algum tratamento para combater a celulite, então colabore deixando "desmanchar" no seu coração todo sentimento negativo acumulado. Não brigue com a celulite, pois ela é apenas um reflexo da sua conduta diária. Aprenda a ser calma para aceitar com mais paciência todas as ofensas e proibições. Deixe de se sentir ameaçada só porque tentaram ou tentam mudar seu jeito de ser. Procure, aos poucos e em harmonia, buscar sua identidade e seus direitos, pois foi você quem se deixou levar pelas opiniões dos outros, com medo de ser você mesma. 

Muitas mulheres conseguiram livrar-se da celulite, ocupando-se com coisas que gostam de fazer. Outras obtiveram sucesso através da terapia, yoga e ginástica, que além de ajudarem a corrigir a circulação sangüínea, também ajudam a descarregar as tensões. 

Sinta e reconheça como é importante a mente estar leve para perdoar as pessoas e recomeçar. 

Perdoe todo seu passado e todas as pessoas e assim você será uma pessoa feliz e, naturalmente, sem "probleminhas" desagradáveis pelo corpo. 


A alimentação correta e sem excessos é muito importante, mas certamente, ela depende do seu estado emocional. Desafiá-la às vezes é inútil, pois gera mais tensões e ansiedade. 

A ginástica e todos os tratamentos estéticos geram alegria e satisfação, pois a pessoa está fazendo alguma coisa por ela mesma. Por isso, aproveite o seu tempo e comece a se amar de verdade. Perdoe-se e viva com sentimentos suaves. Com isso, você não precisará gastar tanto dinheiro com remédios. 

A vida está constantemente gritando por mudanças e, se você perder seu respeito pessoal, vai cair cada vez mais no poço da amargura. 

Dê satisfação a você mesma e viva de maneira leve, evitando ser comandada, mas sendo auxiliada.

Solte-se, ande descalça na terra, beba água e tome aquele "banhozinho" de sol, pela manhã bem cedo ou no finalzinho da tarde, pois o sol contém a vitamina necessária para restabelecer o sistema nervoso e fortalecer seu ânimo e sua pele. Alegre-se! 


Destrua, definitivamente, esse sentimento de vítima que se alojou em você por motivos de acomodação. Não espere que as pessoas mudem. Mude você. Faça por você tudo que gostaria de receber e, passo a passo, você perceberá que seu corpo passará a ter linhas mais harmoniosas e sua pele começará a ter outro brilho. 

Repito que em nossos dias a idade já é um fator ultrapassado. Quem ainda justifica a perda da beleza ou da saúde como culpa do tempo, é porque está mal-informado e ignora as descobertas relativas ao poder dos exercícios e da alegria, que desencadeiam um processo de rejuvenescimento. 

A saúde é a sua estrela e a beleza é o seu reflexo. Não perca este brilho, tenha sempre em mente que seus pensamentos saudáveis, amáveis e sinceros, lhe retribuirão com uma beleza e juventude sem fim.



Linguagem do Corpo - Cristina Cairo


Veja também: http://causaemocional.blogspot.com.br/2014/02/estetica.html

TAMANHO E FORMATO DOS SEIOS

SEIOS - Visão Metafísica


Você sabia que seu seio diz muito sobre você?

Podemos analisar várias características pela visão metafísica. O formato, o tamanho, se é firme ou caído, flácido, etc.
As glândulas mamárias simbolizam a feminilidade e a afetividade, a capacidade de entrega e doação. Essa capacidade determina as características dos seios, o tamanho e formato.
Existem 2 formas características que são: gota e pera.



Forma de Gota: geralmente são empinados, mulheres com esse formato, demonstram coragem e vigor, são mais despachadas e tem facilidade de se colocar numa situação, se entregam sem perder a auto-estima. São independentes, seguras de si, sabem o que querem e vão a luta, não esperam acontecer. Se uma mulher assim com o passar do tempo sufoca essa sua natureza, por se deixar envolver por conceitos sociais, decepções, etc. O seio acompanha a mudança de comportamento e se molda, podendo ficar flácido, caído, crescer demais, ou até diminuir. Entenderemos esses outros significados mais a frente.

Forma de pêra: Já são naturalmente mais caídos, não empinados, mostra a falta de confiança em si, são indecisas em sua vida afetiva, se acaso se entregam, a auto-estima cai, dão mais necessidades as importâncias dos outros do que as suas próprias. Quando se relacionam, fazem de tudo para serem queridas, pois não confiam em sua capacidade para conquistar, geralmente, se deixam explorar, pois querem agradar e não sabem como.



Tamanho-volume : representam a vaidade e intensidade na doação.




Seios Médios e proporcionais: Pessoas que lidam bem com sua vaidade, não cometem exageros em nome do orgulho, expressam afeto de forma saudável, se doa com equilíbrio e bom senso, boa capacidade de se relacionar e estabilidade emocional.




Seios Pequenos e achatados: são pessoas mesquinhas na doação, geralmente mulheres que foram machucadas na afetividade na fase da infância, inibem a aptidão de doar, por isso reprimem sua capacidade de entrega, atrofiando o desenvolvimento e crescimento dos seios. Revela egoísmo e vaidade consigo. São mulheres com dificuldade no relacionamento afetivo, doam pouco e exigem muito, pois sentem muito medo da entrega.






Seios grandes: está diretamente ligado ao orgulho e vaidade no sentido de querer ser o que não sente que é. Faz tudo pelos outros para resolver seu complexo de inferioridade e medo de rejeição. Quer que achem que ela é bondosa, fica muito orgulhosa quando satisfaz a necessidade do outro, tem desejo de servir, precisa fazer para os outros para poder se sentir bem, não se apóia em si. Simbolicamente está dizendo que o seio grande tem leite de sobra pra todos! 


Seios flácidos: anulação de si, falta de sustentação e vigor interior, não confia em si, geralmente pessoa submissa, sofredora, se dedica intensamente aos outros esquecendo-se de si. Os seios flácidos demonstram que a pessoa está vazia de si, murcha, está esperando sempre algo que a preencha. Muitas mulheres fazem plástica para retirada de pele e não mudam seu interior continuando com o mesmo padrão que citei acima, então seus seios voltam a cair e murchar.

Seios grandes e caídos: É preciso entender que pra se doar é preciso não esperar nada em troca, a maioria das pessoas que se doam muito sempre espera alguma recompensa por sua doação. Como as pessoas de seios grandes geralmente são grandes doadoras, mas em geral é por que querem agradar, os seios tendem a cair, elas se machucam na doação, muitas vezes até se sentiram humilhadas em relação a sua doação, como o desprezo por exemplo, isso dói muito, então a doação é vista como um martírio.

Seios pequenos e caídos: Não se doam por nada, geralmente tem grande medo de se machucar.



Falaremos agora de mamilos. 



Tem muita gente que faz confusão entre mamilo e aréola (e confundem a aréola com auréola, esta é dos anjos, vem de aura, luz em torno, o mamilo tem aréola).


O mamilo é o bico do seio e representa a necessidade de ser chamada para algo, solicitada. 


A aréola é a pele em volta dos mamilos (bico). Simboliza a intensidade de como se coloca numa situação, e a pigmentação demonstra sua dedicação, mais escura, mais dedicada no que faz.

Mamilo grande: Essas mulheres necessitam extremamente de serem solicitadas para algo, não basta a situação mostrar, elas necessitam que alguém peça a elas, são muito criteriosas na doação e entrega.

Mamilo pequeno: Não se importam que peçam ou não, se sentem que a situação necessita, vão e fazem sem aguardar que ninguém peça. Na doação, são mais voltadas ao que é mais importante para si.

Seios e mamilos: aspectos combinados
Mamilo grande e seio grande: querem se destacar pela dedicação, fazem de tudo para os outros para provar suas qualidades, esquecem-se da sua própria realização, não costumam delegar poderes, querem ser o centro das atenções.

Mamilo pequeno e seio grande: Mulheres que não esperam a solicitação de ninguém, vão fazendo, mas em se tratando de seios grandes a dedicação ao outro é exagerada, são ansiosas na doação, não tem bom senso, quer logo fazer tudo, mesmo sem necessidade. Ex. Mulheres que quando recebem uma visita, oferecem comida, se você diz não, elas fazem de conta que não ouviram, a hora que você se dá conta, ela já fez algo e quer te servir, se você negar, ela fica magoada. Resumindo, não sabem o que fazer para agradar e se submetem a exageros por necessidade de se sentirem bondosas.


Mamilo grande e seio pequeno: Só se doam se forem realmente muito solicitadas, e se a pessoa não souber pedir do jeitinho que ela acha que deve ser, fazem o mínimo e com má vontade. Costumam dizer que não lhe pediram nada, por isso não faz. Com tanta expectativa de como gostariam de ser tratadas, não encontram condições para se dedicar a situação tornando-se frias e indiferentes.

Mamilo pequeno e seio pequeno: além da tendência reprimida, não gostam de ser solicitadas, só fazem na hora que querem. Se alguém solicita algo ela encara como pressão, ela alega que quando for o momento fará. São pessoas que se cobram muito pelo pouco que fazem. Não conseguem se soltar e expressar sua afetividade.


Você pode estar se perguntando em relação a plástica, onde fica a explicação metafísica em relação a alguém que tem pouco e aumenta, e a que tem muito e tira?
Vamos estudar: a pessoa que tem seios pequenos e sente o desejo de aumentar, está sentindo a necessidade de se doar, a vida está fazendo com que ela se implique com o seio pequeno e coloque prótese, é a coragem de ser si mesma, peitar o mundo, se doar, não ter medo, mas se esta pessoa coloca a prótese e não muda seu padrão interior, aí ocorre a rejeição da prótese. 


No caso das que tinham muito seio e fizeram a redução, se elas não pararem com a doação excessiva, com a preocupação com os outros em primeiro lugar, aí pode esperar, que ela vai engordar, e tudo que tiver de aumentar vai pro seio, pois o corpo muda de acordo com os padrões.
Você pode eliminar de vez um padrão quando você reage diferente. Pare e olhe como você está agindo e como você pode agir, basta observar e começar a trabalhar interiormente de forma diferente.
E para encerrar, já que falamos de doação, falaremos da amamentação, que é o maior exercício de doação que uma mulher pode fazer.




Amamentação

Para muitas mulheres, o simples fato de pensar em ter um filho, já simboliza a perda da liberdade, então se ela engravidar, certamente terá problemas nas glândulas mamárias como:
Falta de leite: ocorre geralmente em mulheres que acham que podem ter os seios deformados ou caídos em função do ato de amamentar, são pessoas que se recusam a fazer qualquer coisa pelo outro. Também outra causa metafísica, pode ser de mulheres que traumatizadas com a família atual ou com a de seus pais, geralmente são carentes e mal amadas, exigem dos outros mas não se dedicam a quem amam, são mimadas, querendo que todos corram para sanar suas necessidades.

Mastite: desconforto e mal estar na doação, acredita na obrigação da amamentação, sente sua liberdade invadida, tendo que deixar suas coisas para se doar a outro. O surgimento de nódulos durante a amamentação é uma forma de mastite, sendo que ela pode ocorrer fora do período de aleitamento. Quando ela ocorre na amamentação, podemos olhar assim: Inflamação, que dá abertura a invasão pelas rachaduras no seio, permitindo a entrada de bactérias causando a infecção.

Então está aí, o recadinho a respeito dos seios é este, se olhe, se sinta, procure não exigir, procure não se abandonar, seu corpo reflete seus sentimentos e pensamentos, ele é seu amigo e só quer te mostrar que você está contra você, não há mais ninguém que tenha tanto poder em você do que você mesma! 

Não se magoe com os outros não vale nada esse sentimento, não há mais tempo pra bobagens, lembre-se: "VOCÊ É ETERNA, E SÓ TERÁ VOCÊ PARA TODA A ETERNIDADE", então se aceite, se ame, seja bom com você, os outros estão do lado de fora e não devem ter tanta importância, tudo que você tirar a importância para de atrapalhar sua vida, importância é como fermento, só faz as coisas aumentarem.
Quando você muda a mudança ocorre ao seu redor e as pessoas que te usavam porque você permitia perdem o poder, ou elas mudam ou se mudam de perto de você, a doença some, e tudo se arranja para o seu melhor, enfim, assuma seu poder, peite o mundo com coragem, determinação e auto confiança!

Samira Colla

Leia mais sobre: Amamentação e mastite


Significado psicológico do Tamanho dos Seios 




Quando as mamas são pequenas, isso denota uma mulher yang, ou seja, que não admite autoridade sobre ela e que repudia a ideia de ficar presa ou ser comandada por alguém ou alguma situação. Essa mulher tem necessidade de liberdade e de poucos vínculos. 

Muitas demoram para se casar e, quando se casam, procuram se desvincular rapidamente de pressões familiares ou sociais. Na verdade, a mulher de mamas pequenas quer ser dona do próprio nariz e, por isso, aparenta ser autoritária. A cirurgia plástica para aumentar as mamas só dará certo se a mulher transformar seu interior primeiro. Ela precisa tornar-se mais flexível em seu comportamento, mais acolhedora e conselheira, e uma mãe equilibrada em seus zelos tanto para com seus próprios filhos quanto para com pessoas estranhas. Quando fizer isso, seu subconsciente fará o organismo reagir positivamente em relação à prótese mamaria ou mesmo no desenvolvimento natural das mamas, significando que aquela é uma mulher menos yang e mais feminina e maternal.

Quando as mamas são grandes, a mulher é yin, ou seja, tem tendência a anular-se devido a um instinto maternal exagerado. Essa característica do corpo denota a mulher que acolhe, protege e supre as necessidades de quem a solicita. Trata-se da verdadeira "mãezona" de todos, não só de seus filhos. Magoa-se com facilidade e muitas vezes deixa de realizar seus sonhos em prol dos de outras pessoas, principalmente de familiares. Quando uma mulher de mamas grandes decide fazer uma cirurgia plástica para diminuí-las, está dando um sinal inconsciente de que deseja cuidar mais de si mesma, com certeza em decorrência de uma mudança de vida pela qual esteja passando.
Se as mamas voltarem a se desenvolver após a cirurgia, isso significa que seu comportamento maternal e superprotetor resiste em ceder para a atitude mais independente e realizadora que essa mulher deseja.

 Cristina Cairo Linguagem do Corpo Vol 2




Os seios femininos fazem parte do aparelho reprodutor. No seu interior estão as glândulas mamárias responsáveis pela lactação. Em virtude da sensibilidade dessa região representam uma das principais zonas erógenas do corpo, colaborando para o prazer sexual.

No âmbito da Metafísica da Saúde eles são importantes manifestações da feminilidade, a ternura e a docilidade; a identidade afetiva das mulheres; o comportamento frente às pessoas queridas; a maneira como se dedicam e o prazer em participarem da vida do outro. O jeito como elas expressam o que sentem configura os principais fatores metafísicos das mamas, como segue:

Seios fartos: participação intensa na vida do outro; quando elas gostam dedicam-se ativamente. São mulheres amigas e solícitas, não medem esforços para colaborarem.

Seios pequenos: característicos de mulheres que conseguem manter certa descrição no relacionamento. Mesmo considerando a vida afetiva uma área importante da vida, possuem maior controle sobre as suas emoções, dosando a manifestação da afetividade.
As cirurgias para aumentar o tamanho e o formato da mama (mamoplastia de aumento), bem como a redução da mama, sugerem metafisicamente, novas configurações na maneira de amar e de se relacionar. O aumento do volume mamário, além de elevar a estima da mulher, pode despertar o senso de colaboração e maior participação na vida do outro. A cirurgia para redução, sugere ponderação e comedimento, antes de se dedicar.

Aréolas das mamas: áreas pigmentadas que circundam os mamilos. Representam metafisicamente a intensidade de participação na vida das pessoas queridas. Quanto mais extensas forem as auréolas, mais companheiras e participativas são as mulheres que costumam permanecer ativamente até o fim dos objetivos propostos. Menor extensão das auréolas, são características das mulheres que incentivam e contribuem para dar início aos projetos, porém, não são propensas e permanecerem presentes durante todo o percurso. Pode-se dizer que são ótimas incentivadora e menos companheiras.

Mamilos (papilas mamárias), também conhecido como “bico dos seios”: projeções formadas por tecido erétil, com aberturas dos ductos mamários, por meio dos quais emergem o leite durante o período da amamentação. No âmbito metafísico equivalem a disposição para participar afetivamente do meio; a satisfação por ser solicitada a interagir com as pessoas queridas, instigando a colaboração carinhosa. Quanto maior o bico dos seios, mais prestativas e quanto menor, menos atentas às solicitações, chegando até a se incomodarem e a se sentirem cobradas, quando lembradas da necessidade de participarem.

Flacidez precoce das mamas: significa perda da sustentação em si e no potencial afetivo. As mulheres passam a viver em função das pessoas queridas. Em vez de se mobilizarem pelo que sentem, dedicam-se exageradamente para serem úteis e consequentemente aceitas. Buscam o reconhecimento pelo que fazem para os outros e não pelo que realmente são ou por aquilo que sentem.

Nódulos mamários: dificuldades para interagir nos relacionamentos; bloqueios da afetividade e comprometimento da ternura e da docilidade.

Nódulos benignos: o afeto é reprimido e as mulheres apresentam certa frieza nas relações e dificuldades de expor os seus sentimentos. A afetividade fica contida, formando barreiras que dificultam os envolvimentos; as mulheres mostram-se indiferentes e demoram para se expor.

Tumores malignos nos seios: negação do afeto e significativos bloqueios dos sentimentos. São mulheres que não se deixam levar pelas emoções; elegem a razão como principal norte de sua existência; decidem racionalmente, sem levarem em consideração a afetividade. Não se comovem com os gestos de carinho, tornando-se frias e calculistas; de certa forma indiferentes para com as questões pertinentes às pessoas do seu convívio.

Leia mais sobre: Nódulos mamários


No âmbito metafísico a saúde das mamas corresponde à boa capacidade de envolvimento afetivo. É conquista das mulheres com elevada consciência afetiva, que respeitam os seus sentimentos e os expressam naturalmente. Elas participam da vida das pessoas estimadas, são cúmplices e dedicadas, sem exageros. Celebram o sentimento com docilidade e ternura e não com afazeres ou com o enaltecimento das pessoas amadas, em detrimento do excesso de colaboração aos outros e dependência da sua aprovação.

Tornem-se mulheres altivas, integradas e com boa autoestima. Fortaleçam os laços amorosos com o seu potencial afetivo e não com os excessos de empenho e a interdependência nos relacionamentos.



Por VALCAPELLI 


Leia também: ESTÉTICA